Vale a pena fazer faculdade?

Ao acessar o Youtube, recebi uma sugestão de um vídeo insinuando que, nos dias atuais, NÃO é tão vantajoso fazer uma faculdade. Os argumentos (que discordo) chamaram minha atenção, e resolvi pesquisar o quão comum este pensamento pode ser observado. Pessoalmente, considero indispensável.

Informação e conhecimento são fundamentais, mas não servem de nada se você não souber usar com inteligência! 😉

Na parte de finanças, o Bastter costuma dizer que, independente da escolha, devemos nos programar para colocar as probabilidades de acerto a nosso favor. E como não podemos prever o futuro, não há como acertar sempre. Logo, devemos nos cercar de conhecimento e instrumentos que permitam diminuir a margem de erros, ampliando a probabilidade de acertos – através de um bom manejo de risco. Isto vale para qualquer coisa.

Você tem ideia de quantas portas serão fechadas, caso apresente um currículo com um nível formação limitado? Nível superior é o mínimo que esperam, pois já não é mais considerado diferencial – infelizmente, a falta dele, tende ser critério de exclusão.

Para melhor compreensão, já vi discriminação, em entrevistas de emprego, quando existem candidatos com formação em instituições particulares. Muitas empresas abrem vagas para estudantes de Universidades Federais e as demais nem ficam sabendo. Quando a BrasilTelecom (atual Oi), por exemplo, abriu vagas para estudantes de engenharia, na cidade de Campo Grande, a oferta de emprego (começando por estágio) foi direcionada apenas para alunos da UFMS – os alunos das demais universidades nem souberam. O mercado não se importa se você acha justo ou não.

Concurso público então… as vagas para nível superior não estarão disponíveis.
Caso você não se importe, tudo bem!

Ahhh, mas todo mundo diz que para ganhar dinheiro é “SÓ EMPREENDER”muito simples, não?

Fico admirado em ver a facilidade que vendem nestes discursos. A base, o conhecimento e a experiência de mercado serão adquiridos por osmose então? Não estou dizendo que seja impossível. É possível ter sucesso sem uma formação superior, exemplos não faltam (apesar de raros). Reconheço que varia de pessoa para pessoa. Mas, lembrem-se de que o “ideal” seria colocar as probabilidades de acerto a nosso favor. Não procurar um ensino superior ajuda? Não vejo como.

Em um dos vídeos, um engenheiro afirmou que nunca viu sentido no estudo de derivadas. Pois bem, compartilharei alguns exemplos de aplicação, extraído do blog engenheirocaicara:

Com a derivada é possível de se calcular a variação da velocidade instantânea de um corpo com relação ao tempo. Lembra no ensino médio, logo nas primeiras aulas de física, quando você aprendeu o conceito de velocidade? Sim, aquilo se trata de uma aplicação de derivada! Ainda utilizando a física como exemplo, se pegarmos a função da velocidade em função do tempo e derivarmos a mesma, teremos a aceleração do corpo em qualquer instante.

Outro exemplo prático de aplicação da derivada é a determinação da taxa de variação do volume de um recipiente qualquer com relação ao tempo que o mesmo é cheio. Ainda é possível determinar a taxa de variação do custo de um financiamento, em quanto tempo uma determinada doença se propaga em determinado número de habitantes de uma cidade, o tamanho ideal para a produção de certa embalagem, ou até mesmo o lucro ou prejuízo de uma indústria em função da quantidade de sua mão de obra.

Indo mais além, com os conceitos de derivação, é possível de se definir o que ocorre com as ondas estacionárias, determinando seus comportamentos, através da análise das condições do contorno de sua função. Esses só são alguns humildes exemplos da aplicação do conceito de derivadas, pois existem muitos outros.

Amplie a sua visão de mundo!

Em outro vídeo vi uma afirmação de que algumas empresas procuram profissionais “fodas” (sei.. risos).

Tá certo… Vai lá na Google e “diz” que você é “foda” (tenta a sorte). Pouquíssimas empresas darão a oportunidade de TENTAR provar isto com um currículo medíocre.

Acredito que o crescimento depende de etapas. Se você puder concentrar inúmeras provas de habilidade ou competência, seu caminho será menos tortuoso. A escolha é de cada um. Empreender será uma etapa ainda mais desafiadora, que demandará um esforço MUITO maior.

MMN: Será que vale a pena mesmo?

Não queria criar polêmica, mas tenho consciência de que o assunto não me permite fazer isto (risos). Não é a primeira vez que trato este assunto e, após assistir o vídeo da Júlia Mendonça, resolvi fazer um vídeo contando alguns acontecimentos que pude presenciar.

Não é uma questão dogmática… A verdade é que, dificilmente, a grande oportunidade é apresentada para um grupo de pessoas ao mesmo tempo. Se você tem uma grande ideia ou uma chance rara, não pode torná-la pública!

Procuro ser sempre honesto, e não tento agradar a todos. Meu objetivo aqui não é tentar refutar nada, apenas demonstrar o que sempre observei:

O porteiro, a quem me referi no vídeo, é uma pessoa muito bacana, e gostaria que a expectativa dele tivesse se tornado realidade. Infelizmente, a minha opinião se confirmou mais uma vez. Se os resultados fossem diferentes, compartilharia sem problema algum. Estou sendo imparcial, pois é algo que não interfere em nada em minha vida.

MMN x Pirâmides

Confiram, também, a posição da CVM:
http://www.justica.gov.br/news/boletim-explica-a-diferenca-entre-piramide-financeira-e-marketing-multinivel/boletimconsumidorinvestidor-6.pdf

Se você acredita que pode ser diferente, BOA SORTE (vai precisar)! 😉

FIIs e Ações: Como diversificar sua carteira!

Há algum tempo atrás, um amigo comentou sobre a qualidade dos vídeos do canal do Arthur Vieira (da Infomoney) e recomendou a análise acadêmica e científica sobre sobre investimentos em Fundos Imobiliários, Ações e estratégias de diversificação com minimização de riscos. Realmente, a qualidade das informações é excelente.

Para quem investe ou tem interesse, recomendo assistir:

Pelo visto, estou no caminho certo! 😉

Caso necessite de informações de introdução, recomendo a seguinte leitura:

Letras de Crédito Imobiliário ou Fundos de Investimento Imobiliários?

Carnaval 2018

Mais um feriado prolongado que costuma ser comemorado de diferentes formas. Na maioria das vezes, as pessoas optam pela folia, festejam e extravasam suas felicidades ao máximo possível. É evidente que cada um aproveita como julga melhor. Pessoalmente, prefiro aproveitar estes dias para renovar energias (descansar), ficar em família ou, dependendo do caso, reforçar alguns projetos pessoais.

Já encontrei diferentes visões quanto a origem do Carnaval. Compartilharei o texto do site historia-do-carnaval:

A origem do carnaval é incerta, mas acredita-se que tenha surgido na Grécia por volta do ano 520 a.C. Era uma festa em que o vinho era fundamental e as pessoas se reuniam em nome do deus Dionísio com a única intenção de se divertirem, celebrar a chegada da primavera e a fertilidade. Esse tipo de comemoração se tornou popular em Roma durante os primeiros séculos da era cristã.

O nome Carnaval vem de “Carne Vale”, seu significado está ligado ao fato dessa festa pagã acontecer durante os três dias que antecedem a quaresma, um longo período de privação, portanto era como uma despedida dos pecados da carne. Esse nome surgiu depois que a celebração foi legalizada pela Igreja Católica para coibir o que a instituição classificava como celebração pecaminosa. Ou seja, a celebração tinha como objetivo principal extravasar e fazer tudo que durante a quaresma era proibido.

Em 1545, depois do concílio de Trento, mudou-se o calendário de Juliano para Gregoriano e o Carnaval passou a ser uma data oficial para os cristãos. Dessa forma, é reconhecida como festa popular de rua que sofreu uma série de modificações culturais até chegar aos dias de hoje”.

Aproveitem da melhor forma possível, mas com prudência e respeitando ao próximo também. Para quem gostar de beber, tenha a decência de não dirigir. Caso viaje, certifique-se de que o condutor está em boas condições físicas (descansado) e sem consumir álcool. Não esqueçam, “a festa acontece TODO ANO” – não permita estragar a sua ou de terceiros.

FICA A DICA: “Sífilis volta a ser epidemia no Brasil, e doença ganha dia nacional de combate!”

Desejo um FELIZ CARNAVAL a todos!

Hypermarcas muda de nome

Mais uma excelente notícia… Conforme já esperado, nesta quarta-feira, foi aprovada, por unanimidade, a mudança da denominação social da companhia Hypera S.A (HYPE3).

Em dezembro de 2017, a empresa manifestou o interesse na mudança de nome e plano de crescimento (entre 2% e 3% acima do mercado entre 2017 e 2021):

http://www.valor.com.br/empresas/5217049/hypermarcas-quer-crescer-ate-3-acima-do-mercado-em-quatro-anos

Sigo como sócio! 😉