Resultado do mês de janeiro (2021)

Enfim, o primeiro resultado do ano. Não há como negar que 2020 foi um ano bastante agitado, desafiador e extremamente turbulento. Finalmente, já surgiram as primeiras opções de vacinação contra a Covid-19 no Brasil e, com isto, avançamos bastante no combate à pandemia. Lamento apenas pelo desgaste e desinformação que foi gerado por questões ideológicas (tanto da direita como da esquerda). Mas, posso dizer que janeiro (2021) foi um mês particularmente especial: casei e concluí a mudança de residência. Por incrível que pareça, não precisei lidar com grandes imprevistos. Sem muitas delongas, vamos aos resultados.

Segundo o El País, “o governo brasileiro já firmou parceria com a empresa AstraZeneca e a Universidade de Oxford; e ainda assegurou o acesso da população brasileira, por meio do Programa Nacional de Imunização, à vacina Coronavac, resultado de parceria entre a Sinovac e o Instituto Butantan“.

Aliás, já surgiu uma terceira opção para o Brasil. A Johnson&Johnson anunciou que disponibilizará sua vacina (com 66% eficácia contra casos moderados e graves da doença). Tudo dependerá da negociação com o Ministério da Saúde.

As notícias são positivas e agora ganhamos armas mais potentes para vencer esta batalha. As condições poderiam ter sido melhores se o governo brasileiro tivesse apresentado uma posição mais clara e eficiente para o combate da pandemia. Infelizmente, o que vimos foi justamente o inverso. Tanto é verdade que perdemos a chance de comprar 70 milhões de doses da Pfizer (com mais de 95% de eficiência) com entrega a partir de dezembro de 2020.

Enquanto inúmeros países iniciaram os tramites para vacinação no final de 2020, o Brasil preferiu focar em “medidas preventivas” (com medicamentos para reforçar o sistema imunológico) e não demonstrou esforço algum para combater fake news sobre o assunto.

É inacreditável, parte da população estava temendo mais a vacina que a própria doença. Sejamos realistas, o risco da doença é infinitamente maior do que de qualquer vacina disponível atualmente. A desinformação foi tanta que presenciamos inúmeros influenciadores digitais desafiando a doença e incentivando aglomerações – foi o caso da influenciadora Ygona Moura que faleceu pouco tempo após contrair a doença.

E se você acha que as questões ideológicas influenciaram pouco, não esqueça que no início da pandemia vimos influenciadores como o Bernardo Kuster convocando manifestações usando uma máscara escrito “foda-se“. É perigoso quando a ideologia sobrepõe a razão.

Agora, com uma variação mais agressiva da doença e com a situação caótica em Manaus, as autoridades se viram obrigadas a mudar de conduta. É com a imunização em massa que conseguiremos evitar novas mortes, processos lockdown e diminuir também o índice de desemprego, possibilitando assim uma recuperação econômica mais rápida.

Como de costume, confiram os principais números e acontecimentos que sacudiram o país e o mundo (do redator chefe da Modal):

Conforme comentei em resultados anteriores, nos últimos meses, foquei em meu casamento e mudança de residência. É evidente que surgiram gastos adicionais e, algumas vezes, não planejados inicialmente. Ainda assim, posso dizer que não precisei lidar com grandes imprevistos financeiros porque já havia me programado para lidar com diferentes condições ou surpresas.

No meio do mês, voltei a realizar algumas operações de trade e otimizei bastante o código do projeto APFTrend-Plus. Tenho alternado entre operações manuais e automatizadas. Pois é, o meu desafio continua o mesmo (risos). Minha margem de acerto está alta, mas meu manejo de risco ainda está fraco. Tenho acertado semanas seguidas, porém ainda tenho dificuldade para limitar o impacto dos poucos dias negativos (destruindo os ganhos anteriores).

De maneira geral, estou bastante satisfeito com os últimos ajustes aplicados no código do Robô. Incluí um controle de veredito (opção verdict). Além dos controles internos codificados diretamente (estratégias), incluí uma confirmação final antes de confirmar a entrada na operação.

O sistema de veredito é baseado em um contador interno que poderá ser decrementado de acordo com condições desfavoráveis (começando em 150). Se o algoritmo indicar Short e o HiLO indicar compra, o veredito será decrementado em 15. Se, no final das comparações (são várias), o veredito for inferior à 1, o Short será ignorado. O mesmo se aplica ao Long.

Para obter acesso ou acompanhar os balanços de 2020, recomendo o seguinte link:
https://financenews.com.br/?s=1t20
https://financenews.com.br/?s=2t20
https://financenews.com.br/?s=3t20
https://financenews.com.br/?s=4t20

Quanto aos investimentos e resultado da carteira…

Recebi proventos de ABEV3, EGIE3, HYPE3, ITUB3, ITSA3, ODPV3, BRCR11 (0,54%), FCFL11 (0,47%), PQDP11 (0,28%), KNRI11 (0,40%), RNGO11 (0,79%), HGRU11 (0,56%), GGRC11 (0,49%), MXRF11 (0,67%), KNCR11 (0,49%), HGRE11 (0,62%), VISC11 (0,48%), HFOF11 (0,71%) e HGBS11 (0,32%). O momento continua desafiador, porém a performance da carteira continua estável e apresentou uma leve melhora. Ainda assim, prefiro manter a cautela porque entendo que os indicadores econômicos não justificam a euforia atual (que vem diminuindo). De maneira geral, o retorno financeiro final continua excelente e contou com um pequeno reforço com o pagamento de dividendos e JCP de ABEV3, EGIE3, ITUB3, ITSA3 e ODPV3 (os rendimentos mais expressivos foram de Engie, Hypera e Ambev).

Apesar da capacidade de aporte reduzida (ultimas despesas com a mudança de residência e casamento), realizei um pequeno aporte no fundo HFOF11 e realizei pequenas operações de trade no mini índice.

Confiram a distribuição dos ativos, segundo o portal CEI (NÃO inclui o Fundo DI):

O momento eufórico fez com que a valorização das ações mudasse a proporção da carteira.

A composição atual ficou assim (gráfico do IrpfBolsa):

Vale lembrar que o gráfico acima representa uma distribuição baseada no custo de aquisição, não no valor de mercado

Quanto aos trades

O meu desafio continua o mesmo. A minha margem de acerto foi alta, porém continuo pecando no controle de risco. O segredo não está em quanto conseguimos acertar, mas sim na capacidade de preservar o lucro obtido e minimizar as perdas seguintes (que farão parte do processo).

Resumidamente: concluí o mês com resultado operacional negativo em -R$ 2000. Por incrível que pareça, antes disto, com apenas R$ 300, consegui atingir lucro de R$ 1500 (em aproximadamente duas semanas) por duas vezes seguidas. No entanto, devolvi todo lucro e precisei repor a garantia poucos dias depois. É aí que mora a ilusão do lucro ou dinheiro fácil.

De maneira geral, apesar do momento amargo para o mercado (não se iluda com algumas semanas de otimismo), continuo bastante satisfeito com o resultado da carteira e o rendimento excelente.

O objetivo aqui é meramente didático. Algumas estratégias (mais especulativas que comento) envolvem risco elevado, com potencial de ganho expressivo ou, em alguns casos, prejuízos imediatos. Então, estude sempre, consulte diferentes fontes de informação e tire suas próprias conclusões – a única recomendação que faço é: não façam trades na fase inicial (a tolerância aos erros será pequena)!

Estou apenas demonstrando opções de investimentos e o potencial de crescimento, isto não é recomendação de investimento!

Resultado do mês de dezembro (2020)

Até que enfim chegou 2021. Apesar do atraso na publicação (novas prioridades – mudança de endereço e casamento), gostaria de começar desejando a todos um Feliz Ano Novo. O ano de 2020 ficou para trás e passamos por fortes turbulências que serão lembradas para sempre: “de crises político-econômica (com proporções mundiais) à pandemia do Covid-19“. O ano não foi fácil, mas fomos vencedores e é vida que segue. Sem muitas delongas, vamos aos resultados.

Pois é, passamos por um ano repleto de desafios, conquistas e também de muitas perdas irreparáveis. O impacto causado pela pandemia e os conflitos ideológicos serão lembrados para sempre. Felizmente, pude lidar com tudo isto de uma forma mais leve porque Deus colocou uma mulher muito especial em minha vida pouco tempo antes da tempestade que estava por vir!

Quase duas décadas depois, nos reencontramos e percebemos que as afinidades não só se mantiveram, elas aumentaram. Passamos por este período de turbulência juntos e decidimos nos casar no início de janeiro de 2021.

Como as prioridades mudaram, no final de novembro de 2020, decidi que não faria novos aportes e nem operações especulativas (trades). Temporariamente, direcionei todos os recursos para a mudança de endereço, acessórios para a nova casa e preparativos para o casamento.

É claro que, em função dos riscos de contaminação por Covid-19, não fizemos festa, optamos por um jantar entre família para aproximadamente 15 pessoas.

Nas próximas linhas, demonstrarei como foi a performance da carteira durante o ano de 2020, minhas expectativas e as movimentações mais relevantes.

Como de costume, confiram os principais números e acontecimentos que sacudiram o país e o mundo (do redator chefe da Modal):

Falando diretamente sobre investimentos ou especulação…

Já demonstrei inúmeras vezes que não sou um grande entusiasta das criptomoedas (apesar de estar repensando), entretanto não podemos ignorar que a valorização das criptos superou qualquer outro ativo do mercado tradicional. Hoje, dia 9 de janeiro, um bitcoin equivale a R$ 223.900,00. O que mais impressiona é saber que a cotação, ao longo de 2020, atingiu mínimas inferiores a R$ 30.000. Trata-se da flutuação mais agressiva que pudemos presenciar durante o intervalo de 1 ano. Nada superou – nem dólar, prata ou ouro.

Durante o ano, tive uma pequena exposição ao mercado de criptoativos através da corretora BitMex (oferece uma plataforma de negociação que permite negociar contratos futuros de criptoativos). Nunca comentei sobre assunto porque foi um experimento mais arrojado que fiz com um amigo (sócio em alguns projetos).

Em relação a posição na BitMex, cheguei a realizar pequenos trades para me familiarizar com a plataforma. Porém, no final do ano, depois da forte valorização dos criptoativos, optei por encerrar a posição e realizar lucro. O lucro que obtive destinei para carteira de renda variável de minha esposa – não dava para desperdiçar essa chance.

Como a flutuação dos criptoativos tem sido a mais agressiva atualmente e estamos presenciando máximas históricas, decidi que não farei mais nenhum experimento neste mercado enquanto a cotação do BTC estiver acima de R$ 150.000.

O índice IBov também surpreendeu positivamente (e muito)…

No resultado de dezembro de 2019, incluí uma imagem demonstrando que o índice Ibov encerrou aquele ano em 115.645,34 pontos. Pois é, mesmo com as turbulências da pandemia (até hoje), o Ibov agora está em 125.076,63.

Cuidado, pois isto não significa, necessariamente, que superamos patamares do ano passado, mas sim a confirmação de um novo momento de forte euforia.

Em momentos extremamente eufóricos (em qualquer mercado), mantenha cautela e siga com a estratégia de aportes regulares, procurando aplicar a melhor distribuição possível. Se bem definido, apesar do risco envolvido, o rebalanceamento de carteira pode ser uma opção interessante – caso não se sinta confortável, não faça. E não esqueça que os aportes em maior volume são melhor aproveitados em momentos de pânico, não o inverso. Ninguém fica feliz com a abertura de posições relevantes próximo de uma forte realização de lucros. Então, não se deixe levar pelo entusiasmo do clima eufórico. Resumindo: Não se deixar levar pela emoção!

Durante o ano passado, a economia foi castigada e os mercados reagiram com agressividade porque “o mundo estava parando“. Acredito que parte da euforia atual reflete a expectativa de recuperação econômica depois da confirmação da eficiência das vacinas contra a Covid-19, evitando assim novos lockdown.

Inúmeros países já iniciaram o processo de vacinação. Infelizmente, por aqui, ainda prevalecem as questões ideológicas e interesses políticos (desde o início foi assim). Diante de um conflito ideológico tão forte (seja de direita ou esquerda), o que mais se observa são fake news antivacina ou tentativas de diminuir o impacto e riscos da pandemia.

Seja como for, avaliar a situação econômica do país e fazer projeções é um grande desafio…

Por um lado, estima-se que a dívida pública brasileira supere 100% do PIB (Produto Interno Bruto) nos próximos meses, principalmente depois dos gastos emergenciais (inevitáveis) durante a pandemia – não se iluda com comparações de economias extremamente desenvolvidas. A CONTA vai chegar e o peso para o Brasil tende ser maior!

Por outro lado, o país mostrou números favoráveis referente ao 4T20. Segundo o IBGE (PIM-PF), a indústria cresceu 1,1% em outubro/20, em relação ao mês anterior com ajuste sazonal. Destaca-se que esta é a 6ª alta seguida, com expansão da transformação (1,2%). Por categoria de uso, destaque para a alta de 7,0% nos bens de capital, que, após o crescimento de 45% no 3T20, com os dados de outubro, o carregamento estatístico indica elevação de cerca de 15% para o último trimestre do ano. Com isso, a produção industrial já superou em 2,3% o nível de produção do período pré-pandemia.

Para obter acesso ou acompanhar os balanços de 2020, recomendo o seguinte link:
https://financenews.com.br/?s=1t20
https://financenews.com.br/?s=2t20
https://financenews.com.br/?s=3t20
https://financenews.com.br/?s=4t20

Quanto aos investimentos e resultado da carteira…

Recebi proventos de ABEV3, BBAS3, ITUB3, PETR3, ODPV3, BRCR11 (0,57%), FCFL11 (0,46%), PQDP11 (0,27%), KNRI11 (0,41%), RNGO11 (0,59%), HGRU11 (0,53%), GGRC11 (0,55%), MXRF11 (0,57%), KNCR11 (0,34%), HGRE11 (0,43%), VISC11 (0,39%), HFOF11 (0,53%) e HGBS11 (0,29%). Diante do clima eufórico, o desempenho da carteira apresentou uma leve melhora, mantendo a performance estável. Conforme esperado, com a possibilidade de novas contenções cada vez mais distante, a performance dos FIIs de Shopping vem apresentando melhora gradativa. De maneira geral, o retorno financeiro final continua excelente e contou com um pequeno reforço com o pagamento de dividendos e JCP de ABEV3, BBAS3, ITUB3, PETR3 e ODPV3 (os rendimentos mais expressivos foram de Ambev e Petrobras – presentão de Ano Novo).

Confiram a distribuição dos ativos, segundo o portal CEI (NÃO inclui o Fundo DI):

A disposição dos ativos permanece equilibrada porque, em meses anteriores, reforcei e priorizei as posições nos fundos imobiliários.

A composição atual ficou assim (gráfico do IrpfBolsa):

Gráfico de novembro – não houve novas operações em dezembro

Vale lembrar que o gráfico acima representa uma distribuição baseada no custo de aquisição, não no valor de mercado

Para demonstrar mais detalhadamente a “evolução” da carteira (pela valorização), compartilharei o resultado do ganho por ativo (em relação ao preço médio):

PapelP. médioP. mercado%Setor
ABEV317,0016,53-2,77Consumo nâo Cíclico
BBAS320.8339,7991,07Financeiro
BBSE327.0129,8910,60Financeiro
BRCR1199.5491.80-7,77Financeiro e Outros
CRFB317.4519.5011,75Consumo não Cíclico
EGIE340.5144.269,25Utilidade Publica
EZTC315.5940.44159,43Consumo Cíclico
FCFL1190,28117.7030.38Financeiro e Outros
FLRY321.8427,3925,42Saúde
GGRC11123.95139,8912,86Financeiro e Outros
GRND37.048,3418,39Consumo Cíclico
HGBS11218.44215,93-1,15Financeiro e Outros
HGRE11141.88150,155,83Financeiro e Outros
HYPE333.5735.315,18Saúde
ITSA39.2912,5034,62Financeiro
ITUB321.2928,9936,19Financeiro
KNCR11102,7088,64-13,69Financeiro e Outros
KNRI11149.01159,557,07Financeiro e Outros
MXRF1110.3110,461.45Financeiro e Outros
ODPV313.9314,584,63Saúde
OIBR30.822,43196,44Comunicações
PETR310,6431,59196,84Petroleo, Gás e Biocombustíveis
PQDP111334.222990124,10Financeiro e Outros
RNGO1184,2371,94-14,59Financeiro e Outros
SAAG11121.3900Financeiro e Outros
VISC11117.29117.02-0.23Financeiro e Outros
WEGE321,2989,79321,74Bens Industriais

Alterações da carteira:
– Posições abertas: HFOF11, HGRU11 e CIEL3
– Posições encerradas: SAAG11

Conforme exposto no Resultado de Outubro, por diferentes razões, decidi encerrar a posição no fundo SAAG11 poucos meses depois da fusão com RBVA11. Logo em seguida, aproveitei o momento para abrir posição no fundo HGRU11 e também para revisar a distribuição de carteira (rebalanceamento).

A posição em CIEL3 tem caráter especulativo (médio risco) e não realizei novos aportes após a abertura de posição.

De qualquer forma, não se prendam demais aos preços como métrica principal. Percebam que a apuração não é tão simples quanto parece…

No decorrer de 2020, com a pandemia, o índice Ibov apresentou uma queda muito expressiva e a performance da carteira despencou rapidamente. Se não me engano, passamos por 6 Circuit Break no mesmo mês. Cada Circuit Break que surgia parecia representar um novo apocalipse e aproveitei para reforçar as posições! Logo, o preço médio da carteira aumentou um pouco. E, se analisarmos o preço de mercado atual, mesmo aos 125.000 pts, a maioria dos ativos ainda não retornou aos patamares de DEZ 2019.

Nos últimos dois anos, inúmeros ativos, como BBAS3 e EZTC3 (por exemplo), estão distantes de suas máximas históricas. Ainda assim, o momento pede cautela – com a expectativa de recuperação econômica, o mercado vem se movimentando com forte euforia, mas ainda não sabemos quais serão as consequências reais que a pandemia impôs para as economias mundiais.

No momento, não tenho realizado operações especulativas.

Durante o mês de novembro (2020), dezembro (2020) e janeiro (2021) realizei revisões e melhorias no indicador APFTrend. Minhas férias estão terminando e pretendo focar nas operações de trade automatizadas. Em breve, trarei novidades sobre o Robô.

Até então, no decorrer de aproximadamente dois anos, só posso dizer que a busca da consistência operacional no day trade tem custado caro. A minha tranquilidade só não foi abalada porque minha posição como holder oferece o suporte que preciso para insistir no processo sem sofrer quaisquer perdas patrimoniais reais ou relevantes. Apenas comprometi uma parte da minha capacidade de aporte. Para quem está começando ou tem pouca experiência, não recomendo.

Para finalizar…

Há algum tempo, comentei sobre a evolução gradativa da receita ($$$) de minha conta no Google AdSense. Infelizmente, “desandou”. Desde que a empresa fez alterações no algoritmo e aplicou mudanças internas, minha receita despencou. Preciso separar um tempo para entender o que aconteceu e qual pendência preciso resolver.

Desejo que 2021 seja um ano mais leve, próspero e repleto de felicidades, realizações e muita saúde para todos.

O objetivo aqui é meramente didático. Algumas estratégias (mais especulativas que comento) envolvem risco elevado, com potencial de ganho expressivo ou, em alguns casos, prejuízos imediatos. Então, estude sempre, consulte diferentes fontes de informação e tire suas próprias conclusões – a única recomendação que faço é: não façam trades na fase inicial (a tolerância aos erros será pequena)!

Estou apenas demonstrando opções de investimentos e o potencial de crescimento, isto não é recomendação de investimento!

Como declarar o direito de subscrição adquirido no final do ano?

Resolvi escrever sobre o assunto porque tem sido uma dúvida recorrente, muito pertinente e o prazo para entrega da declaração (ano calendário 2019) está chegando ao fim (em 30 de junho de 2020).

Infelizmente, existem algumas situações no Mercado de Capitais em que as regras para declaração não são muito claras, mas é preciso informar para a Receita Federal.

No caso do direito de subscrição recebido no final do ano (que será exercido no ano seguinte), a recomendação tem sido declarar a situação em “Bens e Direitos” da seguinte maneira (similar ao que é feito para declarar “crédito em trânsito“):

  1. Código 99 (outros), com a descrição como “Direito de Subscrição”;
  2. Como se trata de um direito de subscrição, o valor da situação do ano anterior (em 2018) será preenchido como 0 (zero) e na situação atual (em 2019) o investidor informará o valor debitado de sua conta para exercer o direito recebido (custo de aquisição);
  3. Na discriminação, não existe uma regra obrigatória, apenas informe qual é o código do ativo (final 12) ou o nome do fundo e a quantidade adquirida.

Confiram também a discussão no fórum do Bastter:
https://bastter.com/mercado/forum/871666/subscricoes-em-fim-de-ano

Resultado do mês de maio (2020)

Mais um mês encerra e continuamos limitados pelo COVID-19. Não há uma previsão exata para o fim do isolamento social por aqui e o índice de contaminação segue em curva exponencial crescente. Aliás, infelizmente, o que mais encontramos são achismos e muita desinformação. Falar sobre o cenário político-econômico hoje é garantia de conflito ideológico, pois o confinamento amplia as emoções e paixões exacerbadas – parece que o foco de discussão de alguns grupos é meramente político. De qualquer forma, as consequências econômicas já estão sendo sentidas e são amargas. Muitas empresas, para evitar demissões ou fechamento (por exemplo), aderiram ao Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda oferecido pelo governo federal – passei por isto também; não está fácil para ninguém. Sem muitas delongas, vamos aos resultados.

O desalinhamento entre o governo federal e seus ministros é tão grande que, em menos de um mês de posse (17 de abril até 15 de maio de 2020), presenciamos a saída do segundo ministro da Saúde (Nelson Teich) em plena pandemia. Estamos falando de trocas estratégicas de grande impacto em curtíssimo espaço de tempo e em um momento de grande turbulência política, social e econômica. Na minha opinião pessoal, a justificativa de que outras administrações faziam alterações mais frequentes não serve como desculpa, pois entendo que o momento é extremamente delicado, único e o governo atual sempre prometeu uma conduta diferente e oposta à tudo que víamos até então. Inúmeras alianças atuais seriam impensáveis no início.

Não vou estender este assunto, pois, conforme exposto no início, tratar sobre o cenário político-econômico hoje é garantia de conflito ideológico, pouco produtivo e não mudará a realidade dos fatos.

Quanto ao impacto econômico imediato… Apesar de alguns contratempos, o governo tem feito sua parte! 😉

Visando socorro às empresas de pequeno e médio porte, para evitar demissões em massa, o governo federal lançou um programa de reposição salarial, permitindo que empresas reduzam temporariamente (até 3 meses) a renda de seus funcionários em 25%, 50% ou 70%. Como a reposição tem um teto proporcional ao seguro desemprego, as empresas tendem aplicar reduções mais significativas para rendas menores (até dois salários, por exemplo), visto que, neste caso, a complementação do governo será quase total. Para o funcionário, quanto maior a renda, menor será a reposição e maior será a perda.

O programa de reposição salarial é uma medida emergencial e tende evitar consequências ainda mais graves no mercado de trabalho, pois, com a redução do consumo e sem este apoio financeiro, algumas empresas seriam obrigadas a demitir ou fechar as portas por incapacidade de lidar com seu quadro de funcionários. Portanto, é um benefício que atinge empregado e empregador (todos ganham). A empresa em que trabalho, por exemplo, aderiu ao programa.

Outro programa oferecido pelo governo é o Auxílio Emergencial – trata-se de suporte financeiro para trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados (infelizmente, há vários relatos de dificuldade com a liberação do recurso). Aproveitando o ensejo, segundo o portal G1, “a Caixa Econômica Federal libera nesta segunda-feira (dia 1 de junho) as transferências e saques em dinheiro da segunda parcela do Auxílio Emergencial depositada em poupanças sociais digitais“.

São medidas necessárias. Mas, não se engane, o custo deste socorro será alto e a conta será paga por todos os cidadãos.

Como de costume, confiram os principais números e acontecimentos que sacudiram o país e o mundo (do redator chefe da Modal):

Em relação ao mercado de capitais, o clima de pessimismo parece ter dado “uma trégua” (cuidado) e os principais índices mundiais vem respondendo de forma positiva. Ainda assim, fiquem atentos, o momento atual continua bastante incerto e as consequências econômicas só ficarão evidentes quando tudo isto passar e cada país analisar com calma as “contas” acumuladas em consequência da paralisação (é inevitável). No momento há muita especulação.

Para que se tenha melhor compreensão dos desafios que estão por vir, segundo relatório da Focus, “analistas do mercado estimam queda de 6,25% para o PIB brasileiro em 2020. Foi a décima sexta queda seguida do indicador,(relatório focus)“. 

Resumindo: não se permita mover por emoção!

Algumas empresas que mantenho posição em carteira apresentaram os balanços referentes ao período 1T20, como foi o caso de Ambev (QUEDA de 55,6% do lucro líquido ajustado), Fleury (QUEDA de 36,6% do lucro líquido), Petrobras (PREJUÍZO líquido de R$ 48,5 bilhões devido à baixa contábil) e Carrefour Brasil (QUEDA de 4% do lucro líquido, apesar do crescimento de 6,9% de EBITDA). Reafirmo: “o cenário é e continuará bastante desafiador por algum tempo”. Até os principais Bancos, como Banco do Brasil e Itaú (por exemplo), registraram queda no lucro líquido (vale ressaltar que não é prejuízo).

Para obter acesso ou acompanhar os balanços, recomendo o seguinte link:
https://financenews.com.br/?s=1t20

Quanto aos investimentos…

Recebi proventos de ITUB3, GRND3, BRCR11 (0,47%), FCFL11 (0,47%), PQDP11 (0,0%), KNRI11 (0,41%), RNGO11 (0,57%), RBVA11 (0,70%), GGRC11 (0,49%), MXRF11 (0,69%), KNCR11 (0,37%), HGRE11 (0,39%), VISC11 (0,28%), HFOF11 (0,76%) e HGBS11 (0,17%). Não há muita novidade. Conforme esperado, o isolamento social afetou diretamente muitos fundos. O fundo Parque Dom Pedro Shopping (PQDP11), até que se tenha maior visibilidade quanto ao impacto no fluxo de caixa, optou em não distribuir rendimentos temporariamente. Porém, não entrem em desespero, lembrem-se de que os fundos são obrigados a distribuir 95% do resultado semestralmente – tudo depende do planejamento do fundo (a distribuição mensal é praticamente uma cortesia). De maneira similar, outros fundos de shopping como VISC11 e HGBS11 também apresentaram resultados ruins. Quanto a disposição da carteira, percebam que houve um pequeno “ajuste” (não foi manual): saiu o Fundo Santander Agências (SAAG11) e entrou Rio Bravo Renda Varejo (RBVA11) – na realidade, o que aconteceu foi a fusão entre os dois fundos (criando um dos maiores fundos imobiliários do país), convertendo as cotas na proporção de 0.83 RBVA11 para cada SAAG11. De maneira geral, mesmo com tantas turbulências e impactos negativos, o rendimento da carteira permanece excelente, sendo reforçado com o pagamento de dividendos e JCP de ITUB3 e GRND3 (para minha surpresa, o “rendimento” mais expressivo foi da Grendene).

Com o rendimento da própria carteira, somado ao capital que me prontifico separar para investir mensalmente, comprei mais ações (ou cotas) de FLRY3 e KRNI11. De maneira geral, a distribuição foi bastante equilibrada. Porém, em função de tantas incertezas, tanto no mercado de capitais como na visão macroeconômica do país e por questões de segurança, considerei prudente manter parte do capital dedicado para novos aportes na caderneta de poupança (pelo baixo risco e disponibilidade imediata). Não pretendo fazer isto com frequência, minha intenção é dispor de um pequeno recurso de rápido acesso e quase nenhuma volatilidade.

Aos mais entusiastas do Banco Inter, recomendo assistir o seguinte vídeo:

Confiram a distribuição dos ativos, segundo o portal CEI (NÃO inclui o Fundo DI):

A disposição dos ativos ficou mais equilibrada porque, desde o mês passado, reforcei e priorizei as posições nos fundos imobiliários.

A composição atual ficou assim (gráfico do IrpfBolsa):

Vale lembrar que o gráfico acima representa uma distribuição baseada no custo de aquisição, não no valor de mercado

Em relação aos trades

Desde o início do ano, consegui evoluir bastante o indicador APFTrend-Plus e reescrevi o Expert Advisor (EA) do zero para explorar melhor as “sinalizações” do indicador (é o que busco).

Até então, vinha priorizando tanto a codificação do indicador como do EA, sem realizar operações de trade com minicontratos na conta real. É evidente que toda a avaliação operacional vinha sendo realizada no testador de estratégias do Metatrader5. Existem muitos detalhes que podem passar desapercebidos entre os desenvolvedores e analistas – dependendo da forma como o testador é chamado, o resultado pode ser completamente diferente.

Como estou ficando satisfeito com a evolução do projeto, pretendo retomar as operações na conta real nos próximos dias e, em breve, compartilharei um vídeo com maiores detalhes sobre o assunto.

De maneira geral, apesar do momento amargo para o mercado (não se iluda com algumas semanas de otimismo), continuo bastante satisfeito com o resultado da carteira e o rendimento continua performando muito bem.

O objetivo aqui é meramente didático. Algumas estratégias (mais especulativas que comento) envolvem risco elevado, com potencial de ganho expressivo ou, em alguns casos, prejuízos imediatos. Então, estude sempre, consulte diferentes fontes de informação e tire suas próprias conclusões – a única recomendação que faço é: não façam trades na fase inicial (a tolerância aos erros será pequena)!

Estou apenas demonstrando opções de investimentos e o potencial de crescimento, isto não é recomendação de investimento!

Resultado do mês de abril (2020)

Mais um mês se encerra e o clima no cenário político-econômico permanece tenso e, infelizmente, o número de vítimas fatais do COVID-19 vem apresentando um ritmo bastante acelerado e alarmante. Pelo visto, o ano promete bastante turbulência pela frente – portanto, prudência é a palavra de ordem e nunca é demais. Sem muitas delongas, vamos aos resultados.

No cenário interno, quem seria capaz de imaginar que teríamos dois ministros “afastados” (um deles pediu demissão) no mesmo mês e em plena pandemia? Vale ressaltar que muitas autoridades, em diferentes esferas governamentais, negligenciaram os riscos ou politizaram a pandemia.

Acreditem, o mundo não está preocupado e nem interessado na disputa ideológica que vivemos. A preocupação é outra. De acordo com a revista Exame, por exemplo, “Trump insinua que pode restringir voos internacionais vindos do Brasil“. Aliás, em função do impacto econômico da pandemia e com a previsão de retração de 3,5% do PIB americano, os mercados internacionais responderam negativamente também. Diante deste cenário negativo, o índice da bolsa brasileira (IBov) encerrou o dia (30/04/20) com queda de 3,20%.

As divergências entre o atual governo e os Ministros da Saúde (Henrique Mandetta) e Justiça (Sérgio Moro) levaram à exoneração de ambos. Já demonstrei apoio inúmeras vezes ao atual governo, porém, tirando os membros de minha família, nunca tive ídolos e questiono igualmente sempre que considero válido. Estranhamente, observamos um movimento bastante similar para destruir a reputação de ambos os ministros. A visão de que o atual governo prima pela competência técnica está cada vez mais distante.

Entendo a preocupação do governo com os impactos econômicos (existe fundamento), mas a postura do presidente diante da pandemia influencia no comportamento de muitas pessoas. E, na minha opinião pessoal, o exemplo dado não tem sido positivo!

Quanto a COVID-19, tentei alertar ao máximo que pude. Infelizmente, meu temor vem se confirmando. O número de mortes pulou de 241 para 5.500 em um único mês. Parecia alarmismo ou histeria no início, mas continuar negando o problema é um insulto à inteligência.

Lembrem-se: o nosso bem maior é a saúde… NADA substitui! 😉

Para não desviar do propósito principal do blog ou mesmo da publicação do resultado mensal, compartilharei um texto da Empiricus que expõe pontos que refletem exatamente o que penso, preocupações e impactos econômicos (vale à pena separar alguns minutinhos):
https://sl.empiricus.com.br/p/pe131-bode/

Existe uma regra nos investimentos que levo como referência para quase tudo na vida: *você não consegue estar certo o tempo todo, então o mais importante é conseguir avaliar o grau de risco quando estiver errado – o que você pode perder?*”

Como de costume, confiram os principais números e acontecimentos que sacudiram o país e o mundo (do redator chefe da Modal):

Algumas empresas que mantenho posição em carteira apresentaram os balanços referentes ao período 1T20, como foi o caso da Weg (WEGE3com lucro líquido de +43%) e OdontoPrev (ODPV3 – apresentou geração de caixa recorde, com lucro líquido de +5%), por exemplo.

De maneira geral, o impacto do COVID-19 para o 1T20 ainda foi pouco significativo, mas será desafiador no decorrer do ano. Não posso deixar de expressar minha profunda admiração (de forma positiva) com a ação de empresas (dentre várias) como Itaú (doou R$ 1 bilhão para o combate ao vírus), Ambev (produziu e distribuiu álcool em gel) e Weg (está se estruturando para fabricar respiradores artificiais) neste momento de combate à doença.

Para obter acesso ou acompanhar os balanços, recomendo o seguinte link:
https://financenews.com.br/?s=1t20

Quanto aos investimentos…

Recebi proventos de ITUB3, ITSA3, ODPV3, BRCR11 (0,55%), FCFL11 (0,48%), PQDP11 (0,53%), KNRI11 (0,41%), RNGO11 (0,57%), SAAG11 (0,80%), GGRC11 (0,65%), MXRF11 (0,79%), KNCR11 (0,50%), HGRE11 (0,42%), VISC11 (0,31%), HFOF11 (0,70%) e HGBS11 (0,41%). Continuo satisfeito com o resultado da carteira, embora a performance dos fundos de shopping (PQDP11, VISC11 e HGBS11) tenha sido comprometida – conforme exposto no resultado anterior, este impacto negativo era previsível. Ainda assim, não pretendo modificar ou diminuir minha exposição aos fundos em questão; pelo contrário, entendo que o potencial futuro de valorização destas cotas supera o rendimento dos demais (vale lembrar que é uma visão pessoal). De maneira geral, o rendimento da carteira permanece excelente, sendo reforçado com o pagamento de dividendos e JCP de ITUB3, ITSA3 e ODPV3 (o “rendimento” mais expressivo foi referente à uma restituição de capital em dinheiro de BBSE3, nos demais casos foi pouco significativo).

Com o rendimento da própria carteira, somado ao capital que me prontifico separar para investir mensalmente, comprei mais ações (ou cotas) de ITUB3, ITSA3, ABEV3, BBAS3, BBSE3, MXRF11, VISC11 e HFOF11. Assim como no mês passado, aproveitei o pânico do mercado para reforçar algumas posições – mas é importante manter a cautela, pois o ano tende apresentar uma forte volatilidade. Os maiores aportes foram destinados para BBAS3 e ITUB3, e nos demais os aportes foram equilibrados.

Para quem for sócio da Petrobras (meu caso), recomendo assistir o vídeo da Suno Research:

Infelizmente, os efeitos negativos da pandemia – que é naturalmente recessiva – atingiram diferentes setores do mercado. Como abordei o assunto exaustivamente no resultado anterior, procurei ser mais objetivo neste.

Confiram a distribuição dos ativos, segundo o portal CEI (NÃO inclui o Fundo DI):

A disposição dos ativos ficou mais equilibrada porque, desde o mês passado, reforcei e priorizei as posições nos fundos imobiliários.

A composição atual ficou assim (gráfico do IrpfBolsa):

Vale lembrar que o gráfico acima representa uma distribuição baseada no custo de aquisição, não no valor de mercado

Em relação aos trades

Desde que o ano começou, NÃO tenho priorizado as operações de trade. Entretanto, ao identificar algumas oportunidades pontuais (como a saída do Ministro Sérgio Moro, infelizmente), fiz operações manuais, curtas e rápidas. Até então, por “sorte”, todas as operações foram lucrativas.

Conforme exposto em outras oportunidades, continuo dedicando bastante tempo e esforço na realização de ajustes finos no projeto APFTrend-Plus. Aliás, esta é uma das razões para estar ausente no Youtube nas últimas semanas – preciso estabelecer prioridades. Desta vez, quero certificar que é possível obter resultados realmente consistentes antes de continuar com as operações automatizadas na conta real, pois não quero “comprometer” minha capacidade de aporte desnecessariamente.

Aguardem, não desisti do projeto! 😉

Por outro lado, como holder, tenho reforçado minhas posições conforme identifico alguma oportunidade e disponho de recurso financeiro.

Tenho consciência de que o mundo está passando por um período bastante desafiador e, além da crise econômica e social, muitas vidas serão perdidas. Infelizmente, o mês encerra com quase 6.000 mortes no Brasil e não existe uma expectativa de recuo para as próximas semanas. Lamento muito tratar de números nestas condições; são perdas irreparáveis.

Também não estou aqui para atacar ou defender o governo algum, apesar de entender que o presidente poderia ter evitado mais um atrito em um momento tão delicado e crucial para o país. Na minha opinião, ele tinha este poder. Agora, não adianta gastar muita energia tentando apontar culpados. O fato é que o presidente poderia ter evitado mais este desgaste, que certamente trará repercussões que serão sentidas no decorrer do ano inteiro.

O discurso populista de impedir que pessoas morram de fome no futuro é valido, ninguém nega. Porém, só faz sentido para quem continua vivo e goza de saúde – o dinheiro, sem isto, não serve para nada. Apesar das dificuldades que estão por vir (e virão), a chance de continuar lutando é sempre melhor do que uma interrupção abrupta e sem retorno.

De maneira geral, apesar do momento amargo para o mercado (não se iluda com algumas semanas de otimismo), continuo bastante satisfeito com o resultado da carteira e o rendimento continua performando muito bem.

O objetivo aqui é meramente didático. Algumas estratégias (mais especulativas que comento) envolvem risco elevado, com potencial de ganho expressivo ou, em alguns casos, prejuízos imediatos. Então, estude sempre, consulte diferentes fontes de informação e tire suas próprias conclusões – a única recomendação que faço é: não façam trades na fase inicial (a tolerância aos erros será pequena)!

Desejo a todos um excelente feriado e dias melhores!

Estou apenas demonstrando opções de investimentos e o potencial de crescimento, isto não é recomendação de investimento!