É fácil ganhar dinheiro na Internet?

Quase todos os dias, através das redes sociais, recebemos anúncios envolventes sobre este tema. Em função do nicho de minha fanpage e conteúdo de interesse, acabo recebendo este tipo de anúncio regularmente. Quanto mais o tempo passa, mais reforço minha opinião e, conforme vão surgindo oportunidades, compartilho algumas notícias ou experiências para ajudar na compreensão de alguns pontos que costumo questionar. É possível ganhar dinheiro na Internet, porém não existe fórmula mágica ou receita de bolo para obter sucesso e ser recompensado por isto (retorno financeiro). Vende-se muita ilusão. É extremamente fácil perder tempo e dinheiro, principalmente quando as pessoas se deixam iludir ou são movidas pela ganância.

Repetidamente, afirmam que nada vem sem esforço, mas demonstrando sempre retornos tentadores:
http://www.criarblogs.net/como-ganhar-100-dolares-dia-adsense/

Pode acreditar… é significativamente mais difícil do que costumam pintar! 😉

Muitas vezes, os anúncios demonstram “certa facilidade”, afinal “querer é poder”. Certo? Têm sido frequente a combinação de marketing digital com estratégias motivacionais. A teoria é linda e envolvente – para despertar maior interesse, claro. Afinal, são vendedores em ação. Não gosto e nem fico comovido com textos ou vídeos motivacionais. Acredito que quando você é reconhecido pelo valor que representa e é remunerado na mesma proporção, a motivação é espontânea e constante. É praticamente impossível motivar um profissional mal remunerado. Do contrário, servirá apenas como um anestésico temporário (se funcionar).

Seja como for, independente dos resultados conferidos no curto prazo, dê o melhor de si em tudo que fizer. Mas, procure tomar cuidado com os seus objetivos também. O retorno financeiro é consequência de um trabalho ou projeto bem sucedido (pouco previsível) e não deve ser tratado como objetivo principal ou final.

A palavra inovação está na moda, mas os maiores desafios ainda são velhos conhecidos. É preciso oferecer um produto diferenciado, capaz de despertar grande interesse. Muitas vezes, requer uma posição de vendedor ou prestador de serviço. Dificilmente, bastará revender treinamentos ou produtos amplamente difundidos, a não ser que o seu apresente diferencial competitivo. Existem vídeos, no youtube (não incluirei links), demonstrando como criar uma máquina “poderosa” de vendas. Pois é, para “atingir o que é prometido”, é preciso superar o produtor original, lançando outro produto ainda mais tentador. Fique atento para não ser manobrado por outros produtores (trabalhando quase de graça).

Não vejo muita vantagem na produção de sites de nicho em massa. De acordo com algumas pesquisas, o melhor momento ficou para trás. E, se assim fizesse, provavelmente, precisaria contratar algum serviço de redação para manter os sites ativos (faço malabarismos com apenas dois). Neste caso, adivinhem quem lucraria mais? A única certeza é que eu estaria alimentando outro mercado.

No mês de abril, por exemplo, compartilhei um artigo demonstrando como buscar patrocinadores para seus projetos. São alternativas realmente viáveis. No entanto, requer um produto diferenciado e “argumento de venda” convincente. Não é tão simples quanto parece. Fiz um pequeno experimento, em um crowdfunding famoso. A seguir, vocês perceberão que não deu certo (risos). Também não me dediquei o suficiente – no momento, minhas prioridades são outras.

O primeiro desafio, desta campanha, seria convencer outras pessoas a contribuir com um investidor (mesmo que amador). Pode não fazer muito sentido para alguns. Ainda assim, é complicado. A administração de tempo livre tem sido um grande desafio. Preciso administrar tudo isto, sem comprometer minha atividade principal. Até a produção de conteúdo, “simples” como este, custa tempo e dinheiro. Por enquanto, estou pagando para produzir e disponibilizar conteúdo. Para aumentar o alcance, tenho impulsionado as publicações de minha fanpage.

Para se ter ideia, o retorno do Google AdSense não paga, sequer, os anúncios que tenho impulsionado.

– Vejam quanto custou (total de R$ 1.168,00), no intervalo de quase 2 anos, para impulsionar algumas publicações pelo facebook:

– Agora, confiram qual foi o lucro que obtive através do Google AdSense:

Ainda tem um detalhe: o saque fica disponível a partir de US$ 100,00. Falta um bocado!  😉

Se eu colocasse o retorno financeiro como objetivo principal, não faria sentido manter o blog e, provavelmente, perderia a oportunidade de continuar me aperfeiçoando ou mesmo permitir que o blog cresça realmente (leva tempo). É preciso ser persistente e resiliente. Particularmente, eu entendo que o nosso esforço nunca é em vão. O aprendizado engrandece e pode ser aproveitado em outros projetos. Apenas não fique parado, aproveite seu tempo da melhor forma possível.

O meu objetivo foi demonstrar que a dificuldade envolvida é expressivamente maior do que costuma ser vendido, mas tenho consciência que ainda não me dediquei o suficiente. Vale lembrar que, na tentativa de ampliar o alcance, tenho impulsionado algumas publicações de minha fanpage. Mesmo assim, o resultado ainda é relativamente lento (com mais de 4000 seguidores).  Em relação ao aprendizfinanceiro, não pretendo mudar nada, pois tem servido como fonte de consulta pessoal. Porém, estou estudando a possibilidade de oferecer alguns serviços através do linuxfirewall.

Por hora, prefiro manter o foco no meu trabalho principal e investimentos, pois sei que não me deixam na mão! 😉

E prudência, nunca é demais.

Um ótimo final de semana a todos!

Buscando patrocinadores para seus projetos!

Hoje, abordaremos um assunto bastante interessante para inventores ou projetistas que necessitam de um incentivo financeiro para viabilizar grandes ideias (tirando do papel). Porém, prefiro abordar o assunto de uma forma mais realista, sem criar ilusões, distorções ou falsas esperanças. O mundo continua se desenvolvendo, mas, neste quesito, a principal mudança está nas alternativas para atrair investidores para seus projetos. A essência não mudou tanto assim.

Em minha opinião, a afirmação atual de que o sucesso depende de grandes ideias e capacidade criativa é muito abstrata e não é tão atual como costumam afirmar. Digo isto, porque estes requisitos são antigos e a base continua complexa. Não é qualquer ideia que serve. Vejo este assunto sendo vendido como se houvesse uma receita de bolo para seguir – não há.  E, infelizmente, tende gerar bastante frustração. Acho interessante os vídeos motivacionais que circulam na Internet. São bonitos de ver, mas se você analisar, por amostragem, vai perceber que é possível contar nos dedos os casos de sucesso.

Sonhe mantendo os pés no chão:

Inventores e projetistas existem desde que o mundo é mundo, e hoje ficou realmente mais fácil angariar recursos para viabilizar grandes ideias. É sobre isto que resolvi escrever…

Existem, basicamente, duas formas poderosas para captação de recursos financeiros: atraindo um investidor anjo ou participando de financiamentos coletivos (também conhecidos como crowdfunding).

Confiram uma entrevista, feita pela blogueira Nath, com a investidora anjo Camila Farani:

Há pouco tempo, um amigo me apresentou um crowdfunding conhecido como kickstarter. De acordo com o site tecmundo, “Em troca do investimento, as pessoas que auxiliarem financeiramente o projeto vão receber recompensas de acordo com o valor fornecido. Em muitos casos, a gratificação é uma cópia do produto anunciado, por exemplo“.

No Brasil, o crowdfunding mais conhecido é o Kickante.

Achei a proposta do Kickante interessante e aproveitei para fazer um “teste”, avaliando funcionalidades e facilidade operacional. Criei rapidamente um anúncio com nome “O retrato da vida de investidores“. No momento, é impossível tentar avaliar o alcance ou capacidade de remuneração de um anúncio como este. Encontrei projetos admiráveis e bem sucedidos. Fico feliz em saber que existe algo assim no Brasil. No meu caso, como experimento, qualquer resultado será bem vindo. Fiz para efeito de testes, mas é evidente que aceitarei doações – afinal, o esforço para produção de conteúdo e clipping de relevância é, muitas vezes, árduo e consome bastante tempo.

Para conhecer outros sistemas disponíveis, acesse o link:
http://crowdfundingnobrasil.com.br/

Felipe Neto diz que ganhos no YouTube caíram 90%

Já escrevi sobre este assunto antes, alertando sobre os riscos envolvidos em concentrar todos os esforços em apenas uma fonte de remuneração, como produção de sites de nicho ou a possibilidade de viver como youtuber. Volto a afirmar que, a nossa independência financeira real depende da capacidade de investir e conquistar uma renda passiva (fruto de uma diversificação em bons ativos).

É ingenuidade acreditar que é possível confiar plenamente apenas em fontes de remuneração de terceiros, como é o caso do Google Adsense, sem vínculo empregatício algum. Não há garantias, e seus resultados não dependem exclusivamente do seu esforço. Não estou afirmando que nada disto funcione, apenas saiba como lidar com as oportunidades que surgirem e utilize todas as ferramentas disponíveis para acelerar o potencial de seus investimentos.

Confiram os relatos do Felipe Neto sobre algumas mudanças propostas pelo Youtube:

Vale a pena fazer Spam em comentários?

Já escrevi sobre o assunto, mas vale a apena relembrar…

Há pouco, recebi alguns comentários sobre Tesouro Direto (SPAM). Como os comentários deste blog são moderados, autorizo apenas os que são coerentes com o assunto abordado ou caso entenda que apresente alguma relevância ao tema. No caso de um SPAM, raramente autorizo.

Mas, gostaria de deixar duas dicas valiosas para quem deseja produzir conteúdo:

1. Opte por um framework de conteúdo (CMS – Sistema de Gerenciamento de Conteúdos) como WordPress, Joomla ou Drupal, por exemplo. A Wikipédia é uma enciclopédia, não um CMS para produção blogs. Vale lembrar que é possível criar uma conta gratuita no WordPress.

2. Não crie conteúdo explorando vulnerabilidade de outros sites – é fácil perceber quando isto acontece. Os comentários que recebi exploravam falhas no ambiente wiki de portais internacionais, incorrendo em crime digital. Fatalmente, perde-se credibilidade e o material não demonstra profissionalismo algum (pelo contrário). Logo, não é um modelo sustentável.

Renda extra x Empreendedorismo digital – parte 3

Na publicação anterior, foram feitas ponderações referentes a distorções deste mercado. Há uma infinidade de cursos, palestras e consultorias “especializadas”, principalmente voltados ao empreendedorismo. No entanto, pouco se fala sobre a essência e riscos da atividade e, infelizmente, muitos entram sem o devido preparo.

Antes de prosseguir, assistam:

No vídeo, apesar de estar vendendo seu peixe também (assessoria contábil), o assunto foi tratado de maneira séria e objetiva, diferente das fórmulas milagrosas que vendem por aí. Os gurus mais famosos, na Internet, induzem seguir um modelo de negócio que já está saturado e é pouco eficiente para quem está começando.

As estratégias funcionam, o problema é o modelo de negócio que vem sendo amplamente ensinado – moldado para sustentar um mercado de consultorias e “treinamentos”. Muitas pessoas são induzidas a embarcar para aumentar a visibilidade e o ganho financeiro de alguns PRODUTORES, trabalhando indiretamente para eles.

Grandes empresas exploram este mercado também. Porém, o foco muda (produto).

No Brasil, a Empiricus e a Toro Radar são as casas independentes de análises financeiras mais conhecidas, e trabalham claramente com estratégias de Marketing digital. Elas souberam explorar os recursos tecnológicos do momento para acelerar e potencializar as vendas. Mas, o sucesso aconteceu porque foram capazes de produzir um material diferenciado e de excelente qualidade.

Logo, tendo posse de um produto capaz de despertar o interesse de determinado público, nada impede contratar uma consultoria especializada para agilizar na execução do projeto.

A Empiricus, por exemplo, explorou ferramentas de Marketing digital de diferentes maneiras. O trabalho de redação costuma seguir duas frentes: “produção de relatórios (ou cursos) e teses polêmicas”. Ela Ficou amplamente conhecida após publicar a tese “O Fim do Brasil” – foi processada, e ganhou. Obviamente, concentrou todos os esforços na produção da tese e assistência jurídica (risos), não nas ferramentas de Marketing digital. Acredite, atingir este estágio é o maior desafio.

As empresas citadas anteriormente adotam técnicas comuns no Marketing digital, como storytelling (em teses e soluções propostas), anúncios em redes sociais (através de fanpages), iscas em seus sites oficiais (para “atualizações” periódicas) e “envio de e-mails“. Neste caso, a capacitação especializada não é tão importante, pois, uma vez em produção, o sistema funciona de forma automatizada e o processo operacional tende ser extremamente simples.

“Vale lembrar que a utilização destas ferramentas não deve ser intrusiva, nem ferir a privacidade dos clientes – o abuso delas pode prejudicar a imagem de sua empresa. Evite condicionar a leitura de um ebook gratuito ao cadastro de uma conta de e-mail, por exemplo. Aliás, costumo descartar sites que fazem isto. Logo, sem a leitura do ebook, a estratégia perde eficiência. Trabalhar com isca opcional é mais inteligente, pois o usuário fica confortável para ler o material espontaneamente e, se gostar, cadastrará sua conta para receber atualizações. O seu negócio ganha mais credibilidade”.

Perceberam a diferença? Ao invés de (re)vender treinamentos repetitivos, aprenda sobre este mercado e ofereça consultoria especializada para viabilizar projetos como este. O retorno financeiro é muito maior.

Mas, existem alternativas interessantes…

O empreendedorismo digital permite trabalhar com inúmeras ferramentas e estratégias. Na maioria das vezes, se concentra na produção de conteúdo de nicho (voltado para um público específico) – já surgiram discussões até sobre netflix de nicho. Trabalhando com um nicho específico fica mais fácil cativar o público alvo e ofertar produtos sob “medida” (por interesse).

Até pouco tempo, era comum produzir blogs e monetizar com ferramentas de anúncios (como o Google AdSense). Infelizmente, depende de um volume de acessos muito alto para obter algum retorno significativo – tenho feito alguns testes com este blog e o resultado, até o momento (quase 6 meses), é insignificante. Sendo assim, tem crescido o interesse pelo sistema (ou programa) de afiliados.

O hotmart é um dos ambientes de negociação para afiliados mais conhecido. Vejam como funciona:

O vídeo é interessante, didático e pode inspirar muitas pessoas. Porém, não se afobe. Na minha opinião, e de acordo com relatos de outros “empreendedores”, o maior retorno financeiro é para PRODUTORES.

O apelo do trade esportivo (ganhar dinheiro assistindo jogos de futebol, no conforto de sua casa), por exemplo, é o sonho de praticamente todo brasileiro. O público é enorme. Quando comecei pesquisar sobre o assunto, vi o ebook sendo negociado, em diferentes portais, na casa de R$ 1.000,00, e não existiam muitos concorrentes diretos. Logo, é provável que o produtor tenha vendido mais de 500 unidades. Estamos falando de um retorno de aproximadamente R$ 500.000,00 (acredito que superou). E é fácil identificar alguns compradores porque deixar um depoimento, no youtube, faz parte da estratégia. Com um montante em dinheiro tão expressivo, o produtor é capaz de gerar uma renda passiva superior a R$ 4.000,00 mensais (através de aplicações financeiras mais conservadoras). Ou seja, ele nem precisa colocar em prática o que ensina.

O que foi dito acima é algo muito comum neste mercado! 😉

Para divulgar um produto, existem estratégias simples e poderosas (não só hotmart):

O programa de afiliados não trabalha apenas com infoprodutos. É possível receber comissão com a venda de produtos de grandes empresas também. Algumas introduziram o programa de afiliados diretamente no seu modelo de negócio, como é o caso de Submarino e Magazine Luíza, por exemplo.

Outra alternativa é trabalhar com sites especializados, como Lomadee (grupo Buscapé) ou Zanox (rede internacional) – são parceiros de Lojas Americanas, Ricardo Eletro, Submarino, Extra, Pontofrio, Netshoes e etc.

Para finalizar, o trabalho de freelance pode ser uma opção muito interessante para desenvolvedores (TI):
https://www.br.freelancer.com