COE – Facebook, Google e Apple

Na publicação anterior, comentei que analisaria a possibilidade de investir em um COE com “observações” baseadas na variação de preços das ações de Facebook, Google e Apple. Decidi não investir, mas justificarei as razões.

Após ler o DIE (Documento de Informações Essenciais), não ficou claro qual moeda (real ou dólar) será utilizada como referência no preço de strike e observações. De acordo com o item que descreve a “flutuação de preço” (que prevê eventos de desvalorização de moeda), entendo que este COE está sujeito à variações cambiais.

Os termos de “garantia” também são fracos para a realidade brasileira. Se a operação não for encerrada por nenhuma das quatro observações, o investimento expirará no final de dois anos, devolvendo o valor integral investido sem correção alguma. Como a taxa de juros brasileira é muito alta, o risco assumido – frente os benefícios – fica ainda mais questionável. Para tornar o investimento mais interessante, o COE deveria garantir, pelo menos, a correção da inflação do período.

Vale lembrar que este investimento não permite resgate antecipado.

Já conto com uma exposição direta e bastante diversificada em renda variável. Em função do portfólio que montei, não vejo muito sentido nesta forma de investimento.

COE (Notas estruturadas): Vale a pena?

No início desta semana, clientes da corretora Rico foram informados sobre a disponibilidade de um COE (Certificados de Operações Estruturadas) indexado às ações de Facebook, Google e Apple. Trata-se de uma modalidade de investimento muito interessante (perfil moderado ou agressivo) e nova no Brasil. Portanto, resolvi compartilhar informações detalhando o que é e como funciona.

Para entender o que é um COE, recomendo assistir o vídeo da Cetip:

 Entendido o que é um COE, podemos analisar como funciona a operação e suas vantagens:

Eu pretendia compartilhar o vídeo com a proposta da Rico (no youtube), mas, verifiquei que a listagem do vídeo não está pública. Particularmente, acredito que seria mais vantajoso para a corretora torná-lo público. Porém, como não fizeram, comentarei apenas alguns detalhes gerais da oferta…

O COE oferecido pela Rico é emitido pelo Citibank, tem 2 anos de duração, requer aplicação mínima de R$ 5.000 e conta com quatro datas de observações, com rentabilidade fixa (muito boa) para cada observação. Ou seja, a operação pode ser encerrada, a cada semestre, caso o preço dos três ativos esteja acima do preço de strike (cotação no dia do fechamento do papel – data anterior ao início da operação e prazo de reserva). No pior cenário, o investidor resgata o valor aplicado.

É uma opção de investimento bastante interessante. Porém, não pretendo adquirir porque já montei um portfólio diversificado, visando longo prazo, com ativos de renda variável e renda fixa. A vantagem oferecida pelo COE é tentadora, mas, em relação ao portfólio que montei, perde um pouco o sentido.

No meu caso (como holder), a aplicação mínima de R$ 5.000, com prazo de 2 anos e possibilidade de resgatar o valor exato no final do período, torna o investimento pouco interessante.

Vou pensar com calma neste final de semana e segunda feira decido! 😉