Cuidado com pirâmides baseadas no Bitcoin!

O ano iniciou repleto de informações sobre golpes financeiros, mas as pessoas não param de alimentar os esquemas.

Há poucos dias, saiu uma reportagem sobre o assunto (no jornal da Globo) e, mesmo assim, pouco tempo depois, surgiram pessoas interessadas em participar da Mandala da Prosperidade. Minha namorada recebeu um “convite” no sábado. E, no domingo passado, o Fantástico noticiou outro golpe de aproximadamente R$ 25 milhões em moradores do RS.

Quando imaginei que não restava mais espaço para novos golpes, em tão curto espaço de tempo, eis que surge uma “nova febre de investimento“: “mineração de Bitcoins sob o modelo MMN“. Mas, na prática, não passa de mais uma pirâmide.

Para compreender melhor como esquemas de pirâmide funcionam, recomendo assistir o seguinte vídeo:

O vídeo acima é direcionado a Mandala da Prosperidade, mas a base do golpe é sempre a mesma.

No caso do Bitcoin, é ainda pior. Pois, ao propor uma alternativa de investimento, algumas “empresas” estão assumindo papel de instituições financeiras (clandestinas). A relação de confiança não é “assegurada” (nem atestada) por nenhum órgão de controle de atividade financeira. Ou seja, não há a quem recorrer caso o investidor PERCA TODO O DINHEIRO INVESTIDO – seja qual for a razão. Não é uma questão de perfil de investidor… um risco como este não é aceitável.

A própria moeda já oferece um risco elevado:

No mercado financeiro, confiança é fundamental. A Bolsa de Valores demonstra isto claramente! 😉

Para ajudar a identificar se você está diante de um golpe com Bitcoin, leiam este artigo:
https://mercadolivrebtc.wordpress.com/2016/02/05/5-sinais-que-voce-esta-diante-de-um-golpes-de-piramide-com-bitcoin/

Em pouco tempo, o nível de dificuldade de mineração pode extinguir algumas destas “empresas”, confiram a evolução:

Cuidado pessoal… Não existe dinheiro fácil!

Herbalife pagará US$ 200 milhões para compensar consumidores nos EUA

Em um acordo firmado com a Comissão Federal de Comércio (FTC – Federal Trade Commission) dos EUA, a Herbalife (Herbalife International of America, Inc., Herbalife International, Inc., e Herbalife, Ltd.) se comprometeu a pagar US$ 200 milhões para compensar consumidores que enganou com seu esquema de marketing multinível (que poderia ser classificado como esquema de pirâmide).

http://www.conjur.com.br/2016-jul-16/herbalife-pagara-us-200-milhoes-compensar-consumidores

Estou surpreso por ter demorado tanto… Se investigar cada empresa que trabalha seguindo estratégias de MMN, este mercado acaba! (risos). Trata-se de um mercado que nunca me atraiu, pois lida com produtos caros e um modelo de negócio bastante questionável.

O interessante é que estão combinando com outras técnicas de consultoria para tentar seduzir um número de clientes (ou “consultores”) cada vez maior. Como está na moda vender consultoria sobre qualquer coisa… naturalmente, surgiram consultorias especializadas (coaching, para ficar chique) em nutrição com Herbalife.

MMN x Pirâmides

Este é um assunto bastante discutido e com muitos adeptos para defender. Gostem ou não, a grande maioria dos negócios de MMN (Marketing Multinível), no Brasil, não passam de pirâmides disfarçadas. Portanto, esteja certo de que é possível ter grandes prejuízos (requer algum investimento inicial). Há poucas exceções, onde a renda é voltada ao produto e desvinculada de sua posição hierárquica.

Vale lembrar que MMN não é investimento financeiro.

Estudei várias alternativas e até encontrei algumas empresas “sérias”, mas foram poucas. Pessoalmente, não consegui identificar muitos pontos positivos em nenhuma. Também não vejo como um modelo de negócio tão lucrativo e seguro quanto fazem parecer – pelo contrário. A maioria das pessoas acaba contando apenas como renda extra (auxiliar), não como principal. Outro ponto negativo, que lhe coloca em desvantagem imediata, é o preço do produto; normalmente mais caro se comparado com a concorrência. E o trabalho de “Marketing” tem um “destaque” muito maior que o produto propriamente. Aliás, esta é a alma do negócio. É evidente que, com um trabalho de Marketing forte e “inteligente” assim, novos adeptos são atraídos com grande facilidade. Não é muito difícil perceber que não é algo muito vantajoso para a grande maioria. Por isto é comum ver tanta gente defendendo, mas sem abrir mão do “emprego principal”.

O simples fato de apresentar um produto para venda não desconfigura uma possível pirâmide. Não se iluda. Quando existir uma hierarquia entre vendedores ou grupos e o retorno financeiro for proporcional a sua “posição” dentro desta “hierarquia”, existe uma formação de pirâmide. Em alguns casos há realmente um produto em destaque, mas como não é o que realmente move o negócio, acaba apresentando uma performance inferior ao esperado. A realidade, na maioria das vezes, é muito aquém a expectativa.

Outro aspecto interessante é que o MMN é o único modelo de negócio em que um “vendedor” se beneficia diretamente ao “recrutar”, cada vez mais, novos vendedores, que na prática “seriam concorrentes”. Mas, você será induzido a acreditar que isto é eficiente porque cada vendedor monta sua própria “rede de distribuidores (ou divulgadores)”. A teoria é linda e muito envolvente. Sem a lógica da pirâmide, de que forma você seria beneficiado fazendo algo assim? Lembrando que estará lidando com um produto que tende a ser mais caro se comparado com a concorrência. E para um negócio dito altamente lucrativo, ter como meta recrutar novos divulgadores é, no mínimo, suspeito. Então, será que o foco do negócio reside no produto mesmo? Pense bem.

Não muito distante era comum ouvir vários relatos sobre uma grande “negociação envolvendo uma solução de VoIP (Voz sobre IP)”. Mas, a verdade é que o VoIP era o que menos importava. Não colocarei nomes, mas nesta mesma linha existem vários exemplos.

Já presenciei muitas pessoas defendendo o MMN cegamente, apenas com a expectativa de obter o retorno prometido, sem nunca ter conquistado. Mas, quando questionadas sobre os lucros, exibem extratos bancários de “OUTRAS PESSOAS“. Nem poderia ser diferente, a não ser que a posição do indivíduo seja privilegiada o suficiente para comprovar os lucros. É evidente que os primeiros membros ou idealizadores, por exemplo, realmente enriquecem. Seja como for, nunca conheci alguém, próximo a mim, que tenha conquistado independência financeira ou enriquecido desta maneira. E também não tenho um único exemplo de sucesso, nem de “amigos de amigos” (com ou sem pirâmide).

A questão é simples: “Se o modelo de negócio é tão eficiente assim, por que a constatação dos casos de sucesso é tão rara?”. E não é por falta de referência. É muito fácil encontrar alguém que trabalhe com isto. Infelizmente, “não tenho como comentar sobre casos de sucesso” porque “nunca conheci um”, e também não faria sentido falar de pessoas praticamente desconhecidas que se dizem bem sucedidas. É apenas a minha opinião.

Sei que não é bom generalizar. Seja como for (pirâmide ou não), TODAS as pessoas que me disseram ter encontrado, no MMN, o negócio dos sonhos, desistiram no final.

Não tenho, até hoje, um único caso de sucesso para compartilhar. Portanto, não recomendo.

– Vejam estes comentários no Jornal da Globo

– Este vídeo, “do Canal do Otário”, é bastante interessante também