A realidade de Cuba em 2018

Diante do momento delicado em que vivemos, com o abandono do programa Mais Médicos no Brasil, inúmeras discussões sobre Cuba estão surgindo. E, como sempre, os simpatizantes da esquerda costumam alegar que Cuba é referência para educação, saúde e etc. Será que a qualidade de vida é tão boa assim?

Primeiro, gostaria de compartilhar um vídeo do MBL (Cuba: Paraíso da Saúde e Educação?)

É fácil perceber que a teoria, por mais linda que pareça, muitas vezes não acompanha a realidade. Particularmente, na minha opinião, além da qualidade de vida caótica, o maior problema é o controle que o Estado exerce sobre os indivíduos (a nossa liberdade não tem preço). A vida do cubano é complicada.

Acredite se quiser: “sabonete lá é artigo de luxo”! 😉

Com o próximo vídeo, você chegará a conclusão de que Cuba é realmente um país miserável:

O vídeo foi produzido pelo pessoal do canal Ih, Mochilei!

Não é uma questão meramente ideológica.
Precisamos apurar os fatos para compreender e buscar um padrão de vida melhor para todos.

A grande mentira do pagamento da dívida externa

Infelizmente, poucos brasileiros conhecem os detalhes informados no artigo de JM Almeida. Não deixe de mostrar ao seu amigo socialista de iPhone, aquele que adora dizer que o Governo Lula emprestou dinheiro ao FMI (risos).

O artigo pode ser encontrado através do link:
https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/1042/a-grande-mentira-do-pagamento-da-divida-extera

Um dos argumentos mais usados pelos petistas na defesa de Lula, é que o ex-presidente pagou a dívida externa brasileira, recuperando crédito junto ao FMI. Esse foi o discurso do PT para a classe menos informada do país, e que por absoluta tristeza nossa, compõe a maioria dos brasileiros.

No dia 22 de fevereiro de 2008, o Governo Lula anunciou, por meio do Ministério da Fazenda e do Banco Central, que a dívida externa brasileira havia sido quitada. E ainda mais: já éramos até credores.

Tal notícia foi estampada, na época, na manchete dos principais jornais do país, como, por exemplo, no jornal Estado de S. Paulo: “O relatório divulgado ontem pelo Banco Central, segundo o qual o Brasil, pela primeira vez em 508 anos de história, deixa o papel de devedor e ingressa no seleto time dos credores do mercado internacional, é a consolidação de uma virada histórica”.

Quando Lula assumiu o seu primeiro mandato em 2002, a dívida externa era de R$ 212 bilhões, enquanto a dívida interna era de R$ 640 bilhões. Ou seja, o total, dívida externa mais interna, chegou aos inacreditáveis R$ 852 bilhões.

Em 2008, quando Lula assumiu ter pago a dívida, a dívida externa caiu para 0, já a interna chegou a – pasme – R$ 1,4 trilhão. Total da dívida: R$ 1,4 trilhão – 65% do PIB do Brasil. Agora em 2013 passou de R$ 2 trilhões!!

Mas por que nosso endividamento aumentou tanto? Então aí vai a resposta que os petistas que tanto abrem a boca pra falar em “elite e burguesia” não queriam ouvir: Para pagar ao FMI, Lula captou dinheiro junto aos banqueiros, que compraram os títulos da dívida (pagaram ao FMI). O Brasil, que pagava 4% de juros ao ano para o FMI, passou a pagar 19,5% ao ano para os banqueiros, beneficiando-os.

Ou seja, os banqueiros, ou a “elite” satanizada pelos petistas passaram a ser donos do Brasil, e que foi entregue por Lula para sustentar uma mentira política. E esses dados são da CPI da Dívida, que ocorreu entre 2009 e 2010 da Câmara dos Deputados, com farta documentação do Ministério da Fazenda e do Banco Central, sendo assim INCONTESTÁVEIS!

Os efeitos colaterais sobre a população
Mais uma vez os petistas desinformados haverão de chorar na cama, que é lugar quente. Ainda com um endividamento crescente, Lula não deixou de pegar novamente dinheiro no FMI. Não para pagar qualquer parcela da dívida interna que se avolumava, mas para sustentar os falsos programas sociais como PAC e obras faraônicas superfaturadas que nunca foram concluídas.

Além de pagarmos juros extorsivos aos banqueiros, passamos a dever também, novamente ao FMI. Isso causou um impacto na economia sem precedentes, e posso dizer que vivemos numa bolha de endividamento prestes a estourar, pois já chegamos a quase R$ 3 TRILHÕES no nosso endividamento total. Isso porque Lula assumiu com um endividamento de R$ 852 bilhões e fez o “favor” de mais que triplicá-lo.

Assim, tornou-se impraticável qualquer pretensão de reforma tributária, e o que aconteceu foi o contrário: A carga de impostos aumentou e foi regressiva, prejudicando as classes menos favorecidas. Lula deu vários incentivos para que a indústria barateasse seus produtos (mais uma vez a elite), estimulando o consumo. As indústrias tiveram a chance de vender seus produtos com prazos longos, lastreados pelos bancos e financeiras que já estavam com os cofres abarrotados.

Por outro lado, Lula deu uma falsa vantagem ao povo de baixa renda, pois carregou nos impostos sobre os produtos, diminuindo o poder de compra da população carente. O pobre podia comprar a TV dos sonhos, mas em prestações com juros extorsivos, e achando que Lula era “o cara”. Só enriqueceu mais ainda os bancos.

Já não bastasse a população estar com pele de vira-lata mas latindo como pastor alemão, iludida por Lulla, esta também foi a mais prejudicada e achatada pela política populista do PT, pois o Brasil chegou a ter 43,8% de sua receita total comprometida com a amortização da dívida e pagamento de spreads (juros) tanto ao FMI quanto aos banqueiros, e com isso sacrificou todos os investimentos em serviços públicos.

Vejamos em 2011 como a nossa receita foi distribuída:

Amortização da dívida e pagamento de juros: 43,8% da receita

Saúde: 4,17% da receita

Educação: 3,34% da receita

Trabalho: 2,42%

Ciência e Tecnologia: 0,34% da receita.

Cultura: 0,05% da receita

Saneamento: 0,04%

Ou seja, tudo aquilo que é essencial ao povo brasileiro representou APENAS 10,36% do dinheiro aplicado pelo governo, sendo que foi aplicado QUATRO VEZES mais só para beneficiar banqueiros e pagar dívidas.

Lula pagou alguma coisa, ou nos colocou no caminho da falência financeira e social?

Você realmente entende o significado da palavra fascista?

Nas últimas semanas (ou meses) as discussões se tornaram mais acaloradas, principalmente agora no segundo turno. Particularmente, tenho utilizado o espaço do AprendizFinanceiro para mostrar a minha visão e compartilhar informações que corroborem com meus argumentos. É evidente que ninguém é dono da verdade, mas tenho procurado disponibilizar informações muito bem fundamentadas, sem iludir ninguém.

Vamos ao que interessa, você sabe realmente o significado de “fascista“? Leiam este artigo:
https://spotniks.com/pare-de-chamar-os-outros-de-fascistas-voce-nem-sabe-o-que-essa-palavra-quer-dizer/

Aliás, o Fascismo apresenta maior tendência de esquerda ou direita?

A discussão quanto a posição política é pouco relevante, mas os argumentos foram muito bem fundamentados

Difícil negar, não é mesmo?
Não deixe que sua ideologia fale mais alto que a realidade dos fatos! 😉

Acha que é capaz de viver de trades? Cuidado!

A possibilidade de viver de trades é algo que costuma atrair muitos investidores novatos (aguça a imaginação), além de aquecer um grande mercado de treinamentos e consultorias. A possibilidade é real, mas a probabilidade de sucesso é muito menor do que costumam pregar por aí. É uma questão bastante particular, só o tempo dirá!

Por esta razão, decidi fazer um vídeo sobre o assunto. E, para que vocês tenham uma ideia melhor, até o final deste ano, compartilharei minha experiência. Este é o prazo que estabeleci para tentar ganhar habilidade suficiente.

Percebam que a parte técnica é importante, mas será o seu menor desafio! 😉

Conforme comentei no vídeo, existem quatro fatores que determinarão o seu sucesso:
1. Controle emocional;
2. Disciplina;
3. Manejo de risco; e
4. Saber ganhar e perder

É evidente que o conhecimento técnico é importante, mas é fácil perceber que não será suficiente. De qualquer forma, compartilharei alguns vídeos que considero bastante instrutivos para quem pretende realizar operações de trade e está começando.

“Lembrem-se que não pode haver emoção nas operações e pequenas perdas serão inevitáveis!”

Todo presidente precisa ter domínio sobre economia?

Esta é uma questão bem atual e vem chamando bastante a atenção da população em função das respostas que o candidato à presidência Jair Bolsonaro vem dando. Mas afinal de contas, será que o domínio é realmente indispensável? Pois é, depende de inúmeros fatores (risos)!

É evidente que um presidente precisa ter uma visão macro, porém o conhecimento específico e especializado cabe a sua equipe. E, se analisarmos friamente, é de surpreender que nossa ex-presidente era formada em economia na UFRGS. Neste caso, a princípio, a própria presidente “teria” uma formação “específica e especializada”. Infelizmente, os números não mentem jamais e o país afundou em uma grande crise.

Até a formação dela (ex-presidentA) é controversa:
https://www.estadao.com.br/noticias/geral,dilma-rousseff-admite-erro-em-curriculo,399151