Resultado do mês de setembro (2019)

Basta iniciar os meses terminados em “bro” e o ano passa num piscar de olhos. Apesar das turbulências no cenário político, o ano tem sido bastante interessante para a economia brasileira e em minhas conquistas pessoais também. Felizmente, não tenho sido surpreendido com imprevistos e venho conseguindo gerenciar os meses com tranquilidade. Sem muitas delongas, vamos aos resultados.

No cenário interno, não há muita novidade. Continuamos presenciando um conflito bastante claro e constante de narrativas com um forte viés ideológico. O discurso do presidente Jair Bolsonaro, na ONU (por exemplo), pode ser avaliado de diferentes perspectivas, dependendo de sua fonte de informação.

Basta ver a diferença na forma como foi noticiado pela Rede Globo ou Record:

Entendem agora porque o país está tão dividido? 😉

Como se não bastasse, estamos vivenciando uma “censura” velada (nem tão velada assim, pois é nítida).

Nesta semana, por exemplo, discutiu-se muito sobre a morte da menina Ágatha, na cidade RJ, vítima de bala perdida em um confronto entre traficantes e policiais. É lamentável. Mas, o interessante é que algumas mídias só “informam” quando as mortes envolvem confronto com a polícia, fazendo um prejulgamento que condene a atuação da polícia militar, omitindo-se quando traficantes executam moradores caso ofereçam algum empecilho ao tráfico de drogas.

Ao contrário da falsa imagem que parte da imprensa vende, os moradores das comunidades do RJ não deixam claro o que pensam sobre os traficantes porque, na realidade (infelizmente), temem MUITO mais as leis do tráfico – onde existe pena de morte. Questionar a atuação da polícia, pode ser complicado. Porém, questionar a atuação do tráfico significa assinar a própria sentença de morte.

Quando compartilhei, em minha fanpage, a execução de um policial militar, vítima de tiro de fuzil, meu acesso foi moderado por uma semana. Talvez, você simpatizante da esquerda, queira ver apenas um lado da história. Porém, lembrem-se de que não existe meia liberdade de expressão – todos perdem. Defenda sempre o “direito de expor sua opinião e discordar”!

Sendo assim, diante deste cerceamento da liberdade de expressão, meu protesto contra o facebook, tem sido deixar de fazer anúncios pagos indefinidamente – apesar do forte viés de esquerda, o facebook atua e sobrevive graças à um sistema extremamente capitalista! (irônico, não?)”

Quanto ao cenário internacional, a guerra comercial entre Estados Unidos e China parecia suavizar, mas continua chamando atenção e gerando bastante expectativa nas principais Bolsas de Valores do mundo. Para aumentar o clima de incertezas, também fomos surpreendidos com mais um pedido de impeachment contra o presidente norte americano (provavelmente sem sucesso), Donald Trump.

Como de costume, confiram os principais números e acontecimentos que sacudiram o país e o mundo (do redator chefe da Modal):

Os principais balanços das empresas que mantenho em carteira foram divulgados no mês anterior.

Para ter acesso ou acompanhar os balanços, recomendo o seguinte link:
https://financenews.com.br/?s=2t19

Como o portal acionista.com.br passou a cobrar assinatura para exibir os balanços, passaremos a trabalhar com o financenews.com.br.

Quanto aos investimentos…

Recebi proventos de ITUB3, CRFB3, EGIE3, ODPV3, BBASE3, BRCR11 (0,442%), FCFL11 (0,512%), PQDP11 (0,506%), KNRI11 (0,468%), RNGO11 (0,586%), SAAG11 (0,723%), GGRC11 (0,505%), MXRF11 (0,642%), KNCR11 (0,538%), HGRE11 (0,492%), VISC11 (0,807%) e HGBS11 (0,549%). O resultado da carteira continua excelente e o desempenho dos Fundos Imobiliários vem se mostrando crescente. Neste mês, o pior resultado foi do fundo BRCR11, mas a performance está melhorando. O fundo FCFL11 (Campus Faria Lima – Insper) também surpreendeu, informando um desdobramento de suas cotas na proporção de 1:20. Particularmente, para tornar mais acessível, espero que façam o mesmo com o fundo PQDP11. De maneira geral, o rendimento da carteira permanece excelente, sendo reforçado com o pagamento de dividendos e JCP de ITUB3, CRFB3, EGIE3, BBAS3 e ODPV3 (o rendimento mais expressivo foi do Banco do Brasil – provisionado para o dia 30/09).

Com o rendimento da própria carteira, somado ao capital que me prontifico separar para investir mensalmente, comprei mais ações (ou cotas) de KNCR11 e EGIE3. Em ambos ativos, o aporte foi bastante equilibrado, mas levemente superior para o fundo KNCR11.

Decidi deixar aproximadamente 30% do capital que costumo aportar na conta da corretora para explorar melhor o robô de trades no próximo mês.

E, aproveitando que estamos tratando sobre alocação de carteira, recomendo acessar o seguinte artigo:

No momento atual, em que a taxa selic está atingindo sua mínima histórica (5.5%), decidi fazer um pequeno rebalançamento em minha carteira de renda fixa, diminuindo minha exposição em fundos DI e direcionando para dois fundos de Renda Fixa de Longo Prazo.

Fiz o rebalanceamento por entender que estava muito concentrado em fundos DI (permaneço com maior exposição) e por visualizar que o rebalanceamento oferecerá maior performance. Aliás, contrariando a crença de inúmeros investidores, ainda é possível encontrar fundos de Renda Fixa (Prefixado ou Inflação) com rendimentos acima de 1% ao mês, evidentemente com maior risco (no meu caso, por exemplo, optei por fundos que aceitam até 30% de exposição em derivativos).

Acreditem ou não, um dos fundos ofereceu retorno superior à 2%! 😉

Confiram a distribuição dos ativos, segundo o portal CEI (NÃO inclui o Fundo DI):

A proporção em ações aumentou em decorrência da forte valorização do índice Ibov – em 105 mil pontos

A composição atual ficou assim (gráfico do IrpfBolsa):

Vale lembrar que o gráfico acima representa uma distribuição baseada no custo de aquisição, não no valor de mercado

Quanto ao meu projeto APFTrend-v2.0 (robô trades)…

O projeto está na 23 revisão, com previsão da 24 até domingo (29/09). O resultado mensal melhorou bastante, mas prejudiquei o desempenho do mês quando, contrariando as estimativas atuais, tentei operar na sexta-feira com um número de contratos superior (3) e alvo inferior (3 pontos). Infelizmente, preciso assumir o risco para simular e testar novos recursos.

Apesar de negativo, se comparado com o mês passado, o resultado dos trades foi melhor. Uma alternativa, para quem estiver testando ou simulando, é reduzir o take profit (encerramento com lucro) em até 15 pontos e, de preferência, não ativar o robô na sexta-feira – pretendo fazer apenas simulações no último dia da semana (de acordo com os resultados históricos, é mais prudente).

A partir da versão 11 do APFTrend-EA, incluí novos modos de operação. No próximo mês farei um vídeo detalhando como cada modo trabalha e quais recursos novos que foram codificados!

A versão demo do robô (apenas binários) está disponível para download através do link:
http://aprendizfinanceiro.com.br/APFTrend-v2.0-demo.zip

De maneira geral, continuo bastante satisfeito com o resultado da carteira e, por mais estranho que possa parecer, também com a evolução do robô de trades. O ganho da capital da carteira continua superando minhas expectativas. Vale lembrar que, no curto prazo, oscilações são naturais e esperadas (com movimentos de repique, por exemplo). Dentro de qualquer tendência, os papeis não se movimentam em linha reta.

O objetivo aqui é meramente didático. Algumas estratégias (mais especulativas) que comento envolvem risco elevado, com potencial de ganho expressivo ou, em alguns casos, prejuízos imediatos. Então, estude sempre, consulte diferentes fontes de informação e tire suas próprias conclusões – a única recomendação que faço é: não façam trades na fase inicial (a tolerância aos erros será pequena)!

Estou apenas demonstrando o potencial de crescimento, isto não é recomendação de investimento!

Resultado do mês de agosto (2019)

Encerramos o mês com números positivos para a economia brasileira, mas passamos por algumas turbulências no cenário político – a imprensa brasileira adora jogar lenha na fogueira. Em relação aos investimentos, o mês foi excelente (o rendimento da carteira surpreendeu). Felizmente, de maneira geral, não precisei lidar com imprevistos. Sem muitas delongas, vamos aos resultados.

Existia uma perspectiva negativa em relação ao PIB brasileiro que, caso se confirmasse, retornaríamos para um quadro de recessão técnica. Para nosso espanto e felicidade, o PIB do segundo trimestre superou as expectativas ao apresentar crescimento de 0,40% (1% a mais em relação ao trimestre do ano anterior).

Para reforçar um pouco mais o clima de otimismo, segundo o PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínuo), o índice de desemprego (que continua alto) caiu de 12,5% para 11,8%. Parece pouco, mas estamos conferindo os primeiros sinais de recuperação econômica.

Outro acontecimento de grande impacto, foi o anúncio do interesse em privatizar 17 empresas brasileiras, dentre elas: “Correios, Eletrobras, Telebras, Casa da Moeda, Serpro, Dataprev e outras“. Com este anúncio, as ações de empresas como Eletrobras (ELET) e Telebras (TELB) apresentaram forte valorização nas últimas semanas. Só com a privatização da Eletrobras, por exemplo, o Governo estima um aumento de receita de R$ 16 Bi.

A especulação foi impressionante, acompanhamos uma flutuação agressiva de TELB3 – de R$ 23,00 até R$ 500,00 por ação, porém fechando em R$ 150 (haja estômago). No meu caso, fiquei apenas observando a volatilidade de TELB3, pois a liquidez é relativamente baixa, o spread continua alto e seria necessário estar posicionado no ativo antes do anúncio.

Da lista de empresas apresentada pelo Governo, fiquei na dúvida se faz realmente sentido privatizar a Casa da Moeda – no caso das demais, entendo ser a melhor opção.

Mas, nem tudo são flores…

A imprensa brasileira não dá descanso ao Governo Bolsonaro e coloca uma lupa gigante sobre cada problema que surge, mesmo que sejam sistêmicos (causas “naturais”, por exemplo). É evidente que estou me referindo às queimadas na Amazônia. O problema tomou uma repercussão mundial, desproporcional e prejudicial para a imagem do Brasil – gerou, inclusive, atrito entre Brasil e França.

Para não prolongar desnecessariamente o assunto, publiquei um artigo mostrando diferentes pontos de vista:

Como de costume, confiram os principais números e acontecimentos que sacudiram o país e o mundo (do redator chefe da Modal):

Mais algumas empresas divulgaram os balanços do segundo trimestre…

Pois é, o resultado foi bastante positivo para minha carteira. A EZTEC, por exemplo, divulgou um aumento do lucro líquido de 553% e fechou o mês sendo negociada perto de R$ 40,00 (uma forte valorização em 2019). A Petrobras também surpreendeu ao apresentar um aumento de 89% do lucro líquido.

Atualmente, muitos investidores estão apostando no turnaround (forte valorização, após reestruturação) de empresas como Via Varejo, Oi e Banco Inter. Infelizmente, a Via Varejo divulgou um prejuízo de R$ 154 milhões no 2T19. A situação mais estável e segura é do Banco Inter. Porém, dentre as opções, a assimetria que despertou maior interesse para especulações tem sido da Oi (obviamente, trata-se da opção mais arriscada).

Para ter acesso ou acompanhar os balanços, recomendo o seguinte link:
https://financenews.com.br/?s=2t19

Como o portal acionista.com.br passou a cobrar assinatura para exibir os balanços, passaremos a trabalhar com o financenews.com.br.

Quanto aos investimentos…

Recebi proventos de BBSE3, BBAS3, ITSA3, ITUB3, GRND3, WEGE3, BRCR11 (0,410%), FCFL11 (0,508%), PQDP11 (0,381%), KNRI11 (0,482%), RNGO11 (0,576%), SAAG11 (0,722%), GGRC11 (0,500%), MXRF11 (0,585%), KNCR11 (0,614%), HGRE11 (0,447%), VISC11 (0,578%) e HGBS11 (0,558%). De maneira geral, após o pequeno ajuste realizado no mês passado, houve uma leve melhora na performance da carteira. Porém, a performance final do mês de agosto foi a melhor até o momento. Desta vez, o pior resultado ficou com o fundo PQDP11, porém, em relação ao meu preço médio, a rentabilidade permanece excelente – aliás, o fundo recuou para um preço mais justo e condizente com sua avaliação patrimonial, oferecendo melhor rendimento para os próximos meses. Além disto, tivemos a excelente notícia de que o fundo KNCR11 liberou o público-alvo, antes restrito apenas para investidores qualificados. De maneira geral, o rendimento da carteira permanece excelente, sendo MUITO (risos) reforçado com o pagamento de dividendos e JCP de BBSE3, BBAS3, ITSA3, ITUB3, GRND3 e WEGE3 (o rendimento foi bastante expressivo – o Banco Itaú (por exemplo) pagou R$ 0,78 por ação).

Com o rendimento da própria carteira, somado ao capital que me prontifico separar para investir mensalmente, comprei mais ações (ou cotas) de CRFB3, WEGE3, ITSA3, OIBR3 e VISC11. Desta relação, o maior aporte foi para WEGE3 e o menor para ITSA3.

Conforme colocado, abri posição na Oi, mas com objetivo especulativo (gostei da assimetria risco x retorno) – na imagem com a composição atual da carteira fica evidente que minha exposição ao risco é bastante saudável.

Como o rendimento da carteira foi significativamente maior, optei pela abertura de posição no Fundo FATOR Sinergia FIA. Vale lembrar que, no final de julho, também abri posição no Fundo Alaska Black Ações II.

Confiram a distribuição dos ativos, segundo o portal CEI (NÃO inclui o Fundo DI):

A proporção em ações aumentou em decorrência da forte valorização do índice Ibov

A composição atual ficou assim (gráfico do IrpfBolsa):

Vale lembrar que o gráfico acima representa uma distribuição baseada no custo de aquisição, não no valor de mercado

Quanto ao meu projeto APFTrend-v2.0 (robô trades)…

A performance do robô, no início do mês, foi positiva – imaginei ter encontrado um ponto de equilíbrio entre gain (lucro) e loss (prejuízo). Infelizmente, não durou muito. O “jogo” virou na última semana e terminei com prejuízo novamente.

É claro que tudo isto é feito com um planejamento que não prejudique o resultado final da carteira, bem como a capacidade de aportes.

Vale lembrar que estou trabalhando na 20 revisão do projeto, onde estou incluindo um número maior de validações para diminuir o tempo de exposição à operações mal sucedidas. Em breve atualizarei o projeto.

A versão demo do robô (apenas binários) está disponível para download através do link:
http://aprendizfinanceiro.com.br/APFTrend-v2.0-demo.zip

Atenção, o projeto ainda está em fase experimental

De maneira geral, continuo bastante satisfeito com o resultado da carteira e, por mais estranho que possa parecer, também com a evolução do robô de trades (apesar do resultado negativo que se repete). Ainda assim, o ganho da capital da carteira continua superando minhas expectativas – foi o mais expressivo desde o início do ano. Vale lembrar que, no curto prazo, oscilações são naturais e esperadas (com movimentos de repique, por exemplo). Dentro de qualquer tendência, os papeis não se movimentam em linha reta.

O objetivo aqui é meramente didático. Algumas estratégias (mais especulativas) que comento envolvem risco elevado, com potencial de ganho expressivo ou, em alguns casos, prejuízos imediatos. Então, estude sempre, consulte diferentes fontes de informação e tire suas próprias conclusões – a única recomendação que faço é: não façam trades na fase inicial (a tolerância aos erros será pequena)!

Estou apenas demonstrando o potencial de crescimento, isto não é recomendação de investimento!

Algoritmos: Programação de robôs de trade (videoaula)

Sei que o intervalo de tempo entre um vídeo e outro está longo, mas não estou com muita disponibilidade de tempo livre e, infelizmente, no final de semana passado o HD (disco rígido) principal do meu computador danificou definitivamente. Logo, precisei refazer a instalação do sistema operacional e recuperar o backup de minhas aplicações e projetos. Isto sem falar que ainda estou codificando e otimizando meu robô de trade.

Antes de tratar sobre a codificação de indicadores ou robôs propriamente, começaremos falando sobre lógica de programação (algoritmos). Para quem pretende criar seu próprio indicador ou EA no Metatrader, este conhecimento é fundamental.

Para melhor compreensão, é importante entender primeiro o conceito de entrada (INPUT) e saída (OUTPUT).

Entrada: Recebimento de dados para processamento (associação direta, leitura de um arquivo ou dados fornecidos pelo teclado)

Saída: Resultado final do processamento (escrita em disco ou exibição em tela).

Com este entendimento, fica mais simples compreender o que é um algoritmo e como escrever o nosso próprio código.

Um algoritmo nada mais é que uma sequência lógica de instruções (código) que determinam como dados recebidos (entrada) serão tratados pelo computador.

Resumindo, o algoritmo é uma sequência lógica de instruções que utilizaremos para solucionar determinado problema. A sequência lógica pode ser apresentado em diagrama (fluxograma) ou por um bloco de código (prévia para codificação).

https://www.lucidchart.com/pages/pt/modelos-e-exemplos-de-fluxogram

Como o nosso objetivo principal é a codificação de indicadores ou assistentes especializados (robôs), o foco deste artigo será voltado aos blocos de código. A figura anterior (fluxograma), foi utilizada como reforço para demonstrar como funciona a lógica de programação.

Porém, é através do algoritmo que aprendemos a programar… 😉

http://aprendizfinanceiro.com.br/awrp/wp-content/uploads/2019/03/Algoritmo-videoaula.doc

O primeiro passo, será identificar as “variáveis” necessárias para nosso programa.

As variáveis representam áreas de memória que identificam um dado específico (onde guardaremos o dado recebido para posterior referência – seja por arquivo, teclado ou associação direta).

Por exemplo (associação direta – atribuindo valores):

candle_maior=10
candle_abertura=5
candle_fechamento=8
candle_menor=3

Foram utilizadas 4 variáveis para guardar o valor do “último negócio” realizado no MT5, onde candle_abertura representa o preço de abertura da barra e candle_maior a máxima da barra. As demais variáveis são autoexplicativas.

“Aliás, sempre utilize nomes sugestivos para associar rapidamente a finalidade da variável

O exemplo anterior foi de variáveis simples, mas podemos trabalhar com vetores (array) para armazenar múltiplos valores na mesma variável – permite ter acesso a informações passadas a qualquer momento (histórico).

Caso precisássemos armazenar os preços negociados nas últimas 100 barras, por exemplo:

candle_maior[0]=10
candle_abertura[0]=5
candle_fechamento[0]=8
candle_menor[0]=3

candle_maior[n]=…
candle_abertura[n]=…
candle_fechamento[n]=…
candle_menor[n]=…

candle_maior[99]=6
candle_abertura[99]=5
candle_fechamento[99]=3
candle_menor[99]=2

O valor que aparece entre colchetes (“n”) é um índice que identificará cada barra. Como, no MQL5, o primeiro índice começa em 0, o último (em 100 barras) será 99.

Também precisamos identificar o tipo de dado:
1. lógico: boleano (verdadeiro ou falso)
2. data_hora: formato data e hora
3. numérico: inteiro ou flutuante
4. textual: caractere ou string

Por exemplo:

inteiro i = 0
boleano candle_alta = verdadeiro
flutuante maior_preco = 0.0
flutuante candle_fechamento[]

Neste artigo, para receber dados por teclado, convencionaremos que a instrução será “leia“. E, para exibir os dados, convencionaremos “exiba“.

Entendida a declaração das variáveis, podemos começar a definir a lógica de processamento – “99% do sucesso de todo código (instruções) depende desta definição (onde as comparações serão feitas)”.

Estruturas condicionais:

São blocos de código onde validaremos se o conteúdo das variáveis atendem nossas necessidades: “se condição_verdadeira; faça

– Qual seria o algoritmo necessário para descobrir se um candle é de alta ou baixa?

flutuante candle_abertura=0.0, candle_fechamento=0.0
boleano candle_alta = falso
leia candle_abertura
leia candle_fechamento

se candle_abertura < candle_fechamento; então
candle_alta = verdadeiro
exiba “fechamento”+candle_fechamento+“ alta”
senão
candle_alta = falso
exiba “fechamento”+candle_fechamento+“ baixa”
fim-se

Na realidade, defini candle_fechamento como boleano de propósito, pois no MQL5 poderia ter feito a comparação pela própria variável.

flutuante candle_abertura=0.0, candle_fechamento=0.0
leia candle_abertura
leia candle_fechamento

boleano candle_alta = (candle_abertura < candle_fechamento)

se candle_alta == verdadeiro; então
exiba “fechamento ”+candle_fechamento+“ de alta”
senao
exiba “fechamento ”+candle_fechamento+“ de baixa”
fim-se

Caso pareça muito confuso, respire fundo e leia novamente!

Não é obrigatório dominar tudo que foi demonstrado, mas saiba que é o básico para que possamos otimizar o código para as nossas necessidades. Do contrário, a contratação de um programador será a única alternativa.

Em relação a programação, o que fiz, no exemplo anterior, pode gerar alertas de compilação ou resultado inesperado em algumas linguagens de programação. Percebam que, na exibição, fiz uma soma entre strings com um valor flutuante (são tipos diferentes).

Logo, o ideal é realizar a conversão para um tipo comum. Neste caso, o mais lógico, no momento da soma, seria converter candle_fechamento para string.

Este processo de conversão é conhecido como casting:

exiba “fechamento ”+(string) candle_fechamento+“ de alta”

A partir deste momento, a instrução exiba entenderá que está somando (concatenando) strings. Em algumas linguagens (não é o caso da MQL), ‘a+1’ é igual ‘b’!

Vale lembrar que tenho colocado verdadeiro ou falso em negrito porque representa um valor reservado para identificar o resultado lógico da variável boleana. Não se preocupe muito com isto agora, mas é fundamental que você saiba interpretar os exemplos dados (como está sendo processado).

É evidente que muitas vezes faremos mais de uma comparação na mesma expressão, obrigando que duas ou mais condições sejam atendidas (AND) ou apenas uma (OR).

-É aqui que entra a interpretação da tabela verdade:

se (a > b AND b > c): será processado quando ambas forem verdadeiras
se (a>b OR b>c): será processado se qualquer uma das condições for verdadeira.

Confiram uma videoaula específica sobre estruturas condicionais:

Estruturas de repetição (loop):

Uma estrutura de repetição é basicamente um bloco de instrução em que uma determinada operação deverá ser executada repetidas vezes até atingir o resultado esperado.

Poderíamos utilizar um loop para descobrir qual é o maior preço de fechamento das últimas 100 barras, por exemplo.

inteiro i=0
flutuante maior_preco=0.0
flutuante candle_fechamento[]
...
para (de i=0 até 99); faça
leia candle_fechamento[i]
se (candle_fechamento[i] > maior_preco); então
maior_preco = candle_fechamento[i]
fim-se
fim-para

exiba maior_preco

A variável maior_preco foi inicializada em 0 (menor preço possível) e será substituída no primeiro preço acima de 0. Nas comparações seguintes, ela será atualizada cada vez que o valor de candle_fechamento[i] for maior que o conteúdo de maior_preco.

Se não utilizássemos uma estrutura de repetição (loop) teríamos que escrever cada comparação individualmente – em muitos casos, seria inviável.

se (candle_fechamento[0] > maior_preco); então
maior_preco = candle_fechamento[0]
fim-se

se (candle_fechamento[1] > maior_preco); então

se (candle_fechamento[99] > maior_preco); então
maior_preco = candle_fechamento[99]
fim-se

Mais uma videoaula específica sobre estruturas de repetição (bastante didático):

Cuidado para não tornar os laços infinitos (no exemplo anterior, o limite foi fixado em 99 – repetição de 100x), pois, caso fique infinito, o processamento não terminará e causará o travamento da aplicação.”

Para finalizar, também podemos trabalhar com reaproveitamento de código e melhor organização estrutural disponibilizando funções.

Chamadas de funções:

Quando precisarmos executar uma mesma operação várias vezes em diferentes partes do código, ao invés de repetir o mesmo bloco de código várias vezes, podemos separar o código responsável por este processamento e chamá-lo sempre que for necessário (com uma única chamada, informando os dados necessários).

flutuante função calc_media (flutuante maxima, flutuante minima); início
flutuante resultado = (maxima + minima)/2
retorne resultado
fim-função

flutuante maxima=0.0, minima=0.0, media=0.0
leia maxima
leia minima
media=calc_media(maxima,minima)

exiba media

Percebam que cada função representa um bloco de código separado. Caso o processamento da função, ao final do seu processamento, ofereça algum retorno (resultado final), deveremos configurar o tipo de dado que será retornado (no exemplo foi flutuante).

Confiram uma videoaula específica sobre funções (bastante didático):

No MQL5, a posição da função, em relação a sua chamada, não importará. Não é algo muito comum porque a interpretação do código é sequencial e o compilador, teoricamente, precisa conhecer a função antes de uma chamada no bloco de código principal.

Espero que o conteúdo lhe auxilie no aprendizado!

– Quem não se familiarizar com lógica de programação, precisa contratar um programador para MQL5 – sua curva de aprendizado pode ser longa.

– Outra opção é buscar soluções comerciais onde você apenas alimenta as opções do robô de acordo com o tipo de lógica já programada – aqui Brasil, a Smartbot oferece este serviço.

Programação de Robôs de trade: Introdução

Dei início a produção de videoaulas, no canal do Youtube, sobre programação de Robôs de Trade no Metatrader5. Para evitar euforia desmedida e ilusão, decidi fazer uma introdução demonstrando e refletindo sobre os riscos reais de cada operação.

Muitas vezes também fico eufórico…
Logo, para puxar o freio de mão, vamos aos alertas:

Nossa mente é traiçoeira… É muito fácil ficar iludido quando enxergamos as “possibilidades” de ganho, mesmo conhecendo os riscos envolvidos. Lidar com a euforia nos lucros é fácil e prazeroso, mas lidar com os prejuízos não é para qualquer um.

Pelo que percebi, na maioria das vezes, quem mais defende operações especulativas ou esquemas fraudulentos (pirâmides) são justamente pessoas com recurso financeiro limitado, mas querem acreditar que podem atuar “profissionalmente” (quando possível) neste mercado e acelerar sua independência financeira. O mais triste é que em quase todos os casos que conheço ocorre o inverso – perdem o que não tem.

Demonstrarei como nossa mente pode ser traiçoeira:

Continuando…

Minha primeira experiência na Bolsa foi complicada. Vi a possibilidade de ganho rápido e fiquei cego. Ganhei muito dinheiro em poucas semanas. Na época, mesmo com pouca experiência, consegui realizar várias operações lucrativas. Era tão frequente que não consegui assimilar que poderia ser apenas sorte. A confiança foi aumentando naturalmente. Conferir o lucro rápido mexe com o emocional. Mas, presenciar um grande prejuízo mexe infinitamente mais (risos). Chegou em um momento que me perdi entre operações como holder ou trader. Foi ladeira abaixo. Vários colegas de trabalho seguiram o mesmo caminho. Sabem quantos obtiveram sucesso? NENHUM!

Voltei para o mercado sem a intenção de especular e estudei mais. O foco principal tem sido a atuação como Holder. No início, não parecia tão vantajoso. Porém, 5 anos depois vi um resultado que, no início, nem imaginei.

Com mais experiência e influenciado por outros colegas, resolvi “especular moderadamente” o mercado futuro. Para variar, a grande maioria fala com muita paixão sobre algo que requer muita frieza – não combina. Alguns destes colegas falam em crescer e atuar profissionalmente. O mais engraçado é que estes argumentos são repetitivos. Novamente, sabem quantos estão com lucros consistentes? NENHUM.

Como tenho compartilhado minha experiência como investidor amador, resolvi dar mais uma chance aos trades, sem perder o foco no B&H. A combinação do controle emocional, disciplina e manejo de risco é algo muito complicado. Nas duas primeiras semanas de operação manual consegui um lucro de R$ 1.500. Porém, na semana semana seguinte, perdi R$ 3.000. Manter o controle emocional tendo que operar em horários picados no trabalho ou no intervalo do almoço é impossível (prejuízo certo).

Desisti de operar manualmente…

Decidi codificar um robô no MT5. O resultado tem sido bom, porém manter o equilíbrio entre lucro/prejuízo não é fácil. Aparentemente, o robô está conseguindo entregar um resultado positivo, mas preciso tomar cuidado para não cair em “game-over” em momentos que o robô não consegue acertar. Pois é. O próximo passo tem sido incluir RNA (redes neurais artificiais). Ainda estou afinando a configuração, usando o FANN (Fast Artificial Neural Network). O grande problema é que, muitas vezes, o mercado não é bem comportado e a inteligência artificial acaba perdendo movimentos que não poderia deixar passar e minha relação risco x retorno fica desvantajosa.

O meu objetivo, caso bem sucedido, é conseguir uma remuneração adicional de carteira – reinvestindo os lucros por B&H.

Para finalizar, recomendo que assistam o vídeo:

Faça as operações de forma consciente! 😉