Juros compostos: Conceitos e calculadora

Eis um assunto que está atrelado diretamente ao “mundo dos investimentos” – aliás, segundo algumas fontes: “Albert Einstein dizia que os juros compostos são a força mais poderosa do universo e a maior invenção da humanidade, porque permite uma confiável e sistemática acumulação de riqueza“. Já escrevi sobre o assunto diversas vezes, mas não tratei o assunto pontualmente (deixando de expor os principais conceitos envolvidos). Neste semana, recebi um link interessante e, pela didática envolvida, resolvi compartilhar.

O artigo é de Ramiro Gomes, que, além de tratar sobre os conceitos envolvidos, disponibiliza também uma calculadora online de juros compostos bastante intuitiva:
http://clubedovalor.com.br/juros-compostos/

É fácil ganhar dinheiro na Internet?

Quase todos os dias, através das redes sociais, recebemos anúncios envolventes sobre este tema. Em função do nicho de minha fanpage e conteúdo de interesse, acabo recebendo este tipo de anúncio regularmente. Quanto mais o tempo passa, mais reforço minha opinião e, conforme vão surgindo oportunidades, compartilho algumas notícias ou experiências para ajudar na compreensão de alguns pontos que costumo questionar. É possível ganhar dinheiro na Internet, porém não existe fórmula mágica ou receita de bolo para obter sucesso e ser recompensado por isto (retorno financeiro). Vende-se muita ilusão. É extremamente fácil perder tempo e dinheiro, principalmente quando as pessoas se deixam iludir ou são movidas pela ganância.

Repetidamente, afirmam que nada vem sem esforço, mas demonstrando sempre retornos tentadores:
http://www.criarblogs.net/como-ganhar-100-dolares-dia-adsense/

Pode acreditar… é significativamente mais difícil do que costumam pintar! 😉

Muitas vezes, os anúncios demonstram “certa facilidade”, afinal “querer é poder”. Certo? Têm sido frequente a combinação de marketing digital com estratégias motivacionais. A teoria é linda e envolvente – para despertar maior interesse, claro. Afinal, são vendedores em ação. Não gosto e nem fico comovido com textos ou vídeos motivacionais. Acredito que quando você é reconhecido pelo valor que representa e é remunerado na mesma proporção, a motivação é espontânea e constante. É praticamente impossível motivar um profissional mal remunerado. Do contrário, servirá apenas como um anestésico temporário (se funcionar).

Seja como for, independente dos resultados conferidos no curto prazo, dê o melhor de si em tudo que fizer. Mas, procure tomar cuidado com os seus objetivos também. O retorno financeiro é consequência de um trabalho ou projeto bem sucedido (pouco previsível) e não deve ser tratado como objetivo principal ou final.

A palavra inovação está na moda, mas os maiores desafios ainda são velhos conhecidos. É preciso oferecer um produto diferenciado, capaz de despertar grande interesse. Muitas vezes, requer uma posição de vendedor ou prestador de serviço. Dificilmente, bastará revender treinamentos ou produtos amplamente difundidos, a não ser que o seu apresente diferencial competitivo. Existem vídeos, no youtube (não incluirei links), demonstrando como criar uma máquina “poderosa” de vendas. Pois é, para “atingir o que é prometido”, é preciso superar o produtor original, lançando outro produto ainda mais tentador. Fique atento para não ser manobrado por outros produtores (trabalhando quase de graça).

Não vejo muita vantagem na produção de sites de nicho em massa. De acordo com algumas pesquisas, o melhor momento ficou para trás. E, se assim fizesse, provavelmente, precisaria contratar algum serviço de redação para manter os sites ativos (faço malabarismos com apenas dois). Neste caso, adivinhem quem lucraria mais? A única certeza é que eu estaria alimentando outro mercado.

No mês de abril, por exemplo, compartilhei um artigo demonstrando como buscar patrocinadores para seus projetos. São alternativas realmente viáveis. No entanto, requer um produto diferenciado e “argumento de venda” convincente. Não é tão simples quanto parece. Fiz um pequeno experimento, em um crowdfunding famoso. A seguir, vocês perceberão que não deu certo (risos). Também não me dediquei o suficiente – no momento, minhas prioridades são outras.

O primeiro desafio, desta campanha, seria convencer outras pessoas a contribuir com um investidor (mesmo que amador). Pode não fazer muito sentido para alguns. Ainda assim, é complicado. A administração de tempo livre tem sido um grande desafio. Preciso administrar tudo isto, sem comprometer minha atividade principal. Até a produção de conteúdo, “simples” como este, custa tempo e dinheiro. Por enquanto, estou pagando para produzir e disponibilizar conteúdo. Para aumentar o alcance, tenho impulsionado as publicações de minha fanpage.

Para se ter ideia, o retorno do Google AdSense não paga, sequer, os anúncios que tenho impulsionado.

– Vejam quanto custou (total de R$ 1.168,00), no intervalo de quase 2 anos, para impulsionar algumas publicações pelo facebook:

– Agora, confiram qual foi o lucro que obtive através do Google AdSense:

Ainda tem um detalhe: o saque fica disponível a partir de US$ 100,00. Falta um bocado!  😉

Se eu colocasse o retorno financeiro como objetivo principal, não faria sentido manter o blog e, provavelmente, perderia a oportunidade de continuar me aperfeiçoando ou mesmo permitir que o blog cresça realmente (leva tempo). É preciso ser persistente e resiliente. Particularmente, eu entendo que o nosso esforço nunca é em vão. O aprendizado engrandece e pode ser aproveitado em outros projetos. Apenas não fique parado, aproveite seu tempo da melhor forma possível.

O meu objetivo foi demonstrar que a dificuldade envolvida é expressivamente maior do que costuma ser vendido, mas tenho consciência que ainda não me dediquei o suficiente. Vale lembrar que, na tentativa de ampliar o alcance, tenho impulsionado algumas publicações de minha fanpage. Mesmo assim, o resultado ainda é relativamente lento (com mais de 4000 seguidores).  Em relação ao aprendizfinanceiro, não pretendo mudar nada, pois tem servido como fonte de consulta pessoal. Porém, estou estudando a possibilidade de oferecer alguns serviços através do linuxfirewall.

Por hora, prefiro manter o foco no meu trabalho principal e investimentos, pois sei que não me deixam na mão! 😉

E prudência, nunca é demais.

Um ótimo final de semana a todos!

Bitcoins: Porque optei ficar de fora!

Nas últimas semanas, o barulho estrondoso causado pelo Ransomware WannaCry colocou o Bitcoin sob os holofotes do mundo inteiro. Foi um evento que acabou favorecendo a moeda, que apresentou uma valorização muito agressiva e fora do “padrão”. É evidente que isto abriu um espaço ainda maior para especulação. A forma como cada um escolhe para se posicionar no mercado financeiro é algo muito pessoal, e nós somos os únicos responsáveis pelos resultados de nossas escolhas (seja no sucesso ou fracasso). Sendo assim, compartilharei a razão pelo qual EU resolvi ficar de fora. Não posso e nem vou afirmar qual escolha deve ser tomada, porém gostaria de alertar e mostrar os riscos reais, para que futuros investidores não hajam como torcedores.

Hoje, participei de uma discussão bastante acalorada sobre o assunto, mas, por ser um tema muito polêmico, a discussão se tornou improdutiva (bastante inútil, para dizer a verdade). Nunca consigo desenvolver um raciocínio lógico até o final (risos). Por se tratar de um assunto em grande evidência, resolvi compartilhar a minha visão pessoal e as razões que me fizeram ficar de fora.

Significa que a minha escolha é a melhor? De forma alguma, apenas não preenche meus critérios de investimentos e não desperta meu interesse. No momento, minhas prioridades são outras. Caso você se sinta confortável, a decisão é sua. Algumas pessoas lucraram muito.

A discussão começou quando, em tom de brincadeira, fui questionado se estaria interessado em operar com opções binárias. No mercado “convencional”, o sucesso das operações de trade depende de uma dedicação quase exclusiva e não tenho esta disponibilidade. Existe muita fantasia em torno do assunto. É você quem escolherá de que forma aprenderá isto (risos). No meu caso, sendo um profissional de TI, esta possibilidade está fora de cogitação, pois minha margem de erros seria maior e ainda colocaria minha atividade principal em risco. E, nas opções binárias, nossa resposta precisa ser muito mais rápida. Logo, não condiz com o meu perfil de investidor e também entendo que é uma forma de treinar o lado jogador. O assunto encerrou e, logo em seguida, comentei estar bastante surpreso com a valorização do bitcoin.

Foi aí que tudo começou…

Independente das escolhas ou opiniões (que são pessoais), é imprescindível identificar o nosso perfil de investidor, objetivos e o tipo de patrimônio que almejamos conquistar e expandir ao longo da vida. No menu investimentos, compartilhei a estratégia (e filosofia de vida) que sigo e não me arrependo de absolutamente nada. A única vez que perdi dinheiro, foi quando ignorei a estratégia e segui teorias tortas (induz assumir riscos desnecessários e pode levar algum tempo até cair de verdade).

Quanto ao Bitcoin

Neste exato momento (da postagem), está sendo negociado no mercadobitcoin a R$ 10.020:
Só hoje, ao longo do dia, a moeda apresentou uma volatilidade superior a R$ 2.000  😉

Excelente para especuladores, mas…

Muitas vezes, a volatilidade é interessante e desejável – pode abrir uma excelente janela de “oportunidades” (palavrinha perigosa). Entretanto, a intensidade apresentada no bitcoin nos coloca em uma posição muito semelhante dos jogos de azar. Em função do meu perfil, prefiro manter distância (nem como diversificação). O meu objetivo é acumular patrimônio diversificado em valor, que seja capaz de apresentar a maior estabilidade possível e mantendo poder de valorização gradativo. A partir do momento que você investe em algo tão arriscado e tem a sensação de que o lucro é sempre certo, seu controle emocional será testado, tendendo priorizar onde não deveria. É deste mesmo jeito que muitos fracassam na Bolsa de Valores.

Perdi a chance de especular um grande lucro? Sim, mas prefiro uma noite de sono tranquila.

Se considerarmos a finalidade principal (que é moeda de troca), de que maneira um empresário pode precificar seus produtos de forma coerente? Queira ou não, o valor de referência ainda é baseado na moeda local. Não dá para desassociar. As principais transações não são feitas apenas em bitcoins, é preciso negociar em uma casa de câmbio antes. Então, não posso aceitar comprar um produto pagando o mesmo valor em BTC do mês passado, pois o valor de mercado que ele representa hoje é absurdamente diferente. Há um mês atrás, 1 BTC estava cotado em aproximadamente R$ 6.000. É muita coisa. Agora, considere novamente a volatilidade do dia… É fácil concluir se está fazendo um bom negócio? Duvido muito!

Na discussão que participei hoje, ouvi de tudo sobre o assunto, inclusive muita besteira!

Durante a discussão, afirmaram categoricamente que as transações com bitcoins são ilegais. NÃO SÃO. Aliás, Já compartilhei um vídeo do COAF (Conselho de Controle de atividades Financeiras) expondo sua posição. Em nenhum momento a legalidade da moeda em si foi questionada. A preocupação reside na facilidade de realizar operações ilegais, valendo-se das características de anonimato total. Quanto a isto, podem ficar tranquilos.

Por enquanto, não existe restrição direta em relação as operações. Do contrário, o mercadobitcoin não poderia sequer existir. A própria Receita já disponibilizou opção para declarar bitcoins (para você declarar algo que possui ilegalmente, certamente não é… risos). Apesar disto, não se iluda em acreditar que nenhum governo possa exercer controle sobre a moeda. Diretamente pode até ser. Mas, nenhuma ação contrária foi tomada porque os governos continuam neutros em relação aos efeitos sobre o mercado financeiro. Se, algum dia, decidirem que as transações com bitcoin estão lesando outras atividades financeiras essenciais, não queira ter uma carteira recheada de bitcoins. Não existirá circuit breaker ou qualquer intervenção para evitar que a cotação vire pó.

As garantias envolvidas também são aspectos de extrema relevância. Na maioria das vezes o argumento é repetitivo, indicando que ninguém lhe oferece garantias porque a Poupança já foi confiscada antes. Ainda assim, apesar do sistema falho, foram oferecidas alternativas para reaver o dinheiro corrigido. Comparar uma moeda com uma modalidade de investimento específica já é algo bastante questionável.

Os bancos, por exemplo, estornam operações erradas ou indevidas. Tente fazer isto com bitcoin. Existe uma infinidade de possibilidades que esse pessoal ignora. Se a sua “corretora de valores” (com selo CETIP) fizer qualquer operação não autorizada em seu nome, ela responderá por isto. Então, dizer que não existem garantias no sistema atual, é piada. Seja como for, Insisto em dizer, é ilusão achar que o governo não pode exercer nenhum controle. Em momentos de crise, a única medida de proteção é a diversificação (comece desde cedo).

Mesmo que você disponha de bitcoins, na esperança de nunca ser “lesado” pelo governo (outro confisco), será rastreado nas operações de câmbio – a não ser que os dados de cadastro sejam falsos (caracterizaria crime) ou grande parte do comércio aceite o pagamento em bitcoins (você acha que, se isto acontecer, o governo continuará neutro e ficará aguardando por caridade? Inocente, heim!).

Não estou defendendo governo algum… apenas prefiro não me apegar a conceitos exageradamente utópicos.

Pode ser interessante especular. Mas, vejo como um momento impróprio e de grande euforia (significa comprar no topo).

Se você não estiver preparado para lidar com isto, vai acabar comprando na euforia e vendendo no pânico. Toda vez que a sua ganância falar mais alto, pode esperar pelo pior! É questão de tempo. Vai errar quando é inaceitável. Já passei por isto. Tô fora!

Confiram também uma discussão, no grupo do Bastter (leiam a opinião dele), sobre a utilização como reserva de valor:
https://www.bastter.com/mercado/grupos/Forum.aspx?g=220&t=747845

Boa sorte a quem se aventurar!

Buscando patrocinadores para seus projetos!

Hoje, abordaremos um assunto bastante interessante para inventores ou projetistas que necessitam de um incentivo financeiro para viabilizar grandes ideias (tirando do papel). Porém, prefiro abordar o assunto de uma forma mais realista, sem criar ilusões, distorções ou falsas esperanças. O mundo continua se desenvolvendo, mas, neste quesito, a principal mudança está nas alternativas para atrair investidores para seus projetos. A essência não mudou tanto assim.

Em minha opinião, a afirmação atual de que o sucesso depende de grandes ideias e capacidade criativa é muito abstrata e não é tão atual como costumam afirmar. Digo isto, porque estes requisitos são antigos e a base continua complexa. Não é qualquer ideia que serve. Vejo este assunto sendo vendido como se houvesse uma receita de bolo para seguir – não há.  E, infelizmente, tende gerar bastante frustração. Acho interessante os vídeos motivacionais que circulam na Internet. São bonitos de ver, mas se você analisar, por amostragem, vai perceber que é possível contar nos dedos os casos de sucesso.

Sonhe mantendo os pés no chão:

Inventores e projetistas existem desde que o mundo é mundo, e hoje ficou realmente mais fácil angariar recursos para viabilizar grandes ideias. É sobre isto que resolvi escrever…

Existem, basicamente, duas formas poderosas para captação de recursos financeiros: atraindo um investidor anjo ou participando de financiamentos coletivos (também conhecidos como crowdfunding).

Confiram uma entrevista, feita pela blogueira Nath, com a investidora anjo Camila Farani:

Há pouco tempo, um amigo me apresentou um crowdfunding conhecido como kickstarter. De acordo com o site tecmundo, “Em troca do investimento, as pessoas que auxiliarem financeiramente o projeto vão receber recompensas de acordo com o valor fornecido. Em muitos casos, a gratificação é uma cópia do produto anunciado, por exemplo“.

No Brasil, o crowdfunding mais conhecido é o Kickante.

Achei a proposta do Kickante interessante e aproveitei para fazer um “teste”, avaliando funcionalidades e facilidade operacional. Criei rapidamente um anúncio com nome “O retrato da vida de investidores“. No momento, é impossível tentar avaliar o alcance ou capacidade de remuneração de um anúncio como este. Encontrei projetos admiráveis e bem sucedidos. Fico feliz em saber que existe algo assim no Brasil. No meu caso, como experimento, qualquer resultado será bem vindo. Fiz para efeito de testes, mas é evidente que aceitarei doações – afinal, o esforço para produção de conteúdo e clipping de relevância é, muitas vezes, árduo e consome bastante tempo.

Para conhecer outros sistemas disponíveis, acesse o link:
http://crowdfundingnobrasil.com.br/