Petrobras quer abrir capital da BR Distribuidora

A notícia não é de hoje, mas merece ser compartilhada assim mesmo. Acredito que, apesar do momento turbulento para a Petrobras, esta notícia será bem recebida pelo mercado, gerando uma expectativa positiva.

Segundo a ADVFN, “A Petrobras vai realizar estudos para abertura de capital da BR Distribuidora, tornando a subsidiária uma companhia listada no Novo Mercado da B3. A opção pelo modelo de abertura de capital e oferta pública secundária de ações da BR será ainda submetida à apreciação do conselho de administração. A Petrobras entende que a abertura de capital da BR pode ser considerada como a melhor opção de captura de valor, ao se analisar a situação atual de mercado“.

Leiam a notícia na íntegra:
http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/petrobras-avalia-abrir-capital-da-br-distribuidora-diz-pedro-parente.ghtml

Petrobras: otimismo e excelente resultado

Eis uma empresa que, após atingir a maior dívida do mundo, vem conseguindo fazer milagres!

Felizmente, no primeiro trimestre deste ano, a empresa conseguiu reverter grandes perdas, registrando lucro líquido de R$ 4,44 bi e ainda o ganho de 5,8 bi na justiça.

De acordo com a ADVFN:

A receita líquida da companhia totalizou R$ 68,36 bilhões no período, queda de 2,8% na comparação anual. Segundo a companhia, menores gastos com importações de petróleo e gás natural, além da redução nas despesas gerais e financeiras auxiliaram na composição do resultado“.

Também foi notificada de decisão definitiva e favorável do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (CARF). O processo administrativo fiscal abordava o momento da dedutibilidade dos gastos incorridos pela Petrobras com o desenvolvimento da produção de petróleo e gás, para fins de apuração impostos, referente ao exercício de 2009. Segundo a companhia, o valor atualizado da causa é de R$ 5,8 bilhões“.

Sigo como sócio! 😉

Petrobras registra prejuízo bilionário e cancela dividendos

Existia uma previsão de pagamento de dividendos para este ano. No entanto, o bom senso deixa claro que o momento não é propício e não faz sentido algum distribuir dividendos.

A Petrobras registrou prejuízo líquido de R$ 14,82 bilhões em 2016. O resultado só não é pior do que a perda de R$ 34,83 bilhões acumulada no ano anterior. Segundo a companhia, o prejuízo deste ano se materializou em função, principalmente, da baixa contábil de ativos e de investimentos em coligadas, no valor de R$ 20,89 milhões. O endividamento total da Petrobras continua extremamente alto, em R$ 385,78 bilhões. No entanto, representa uma queda de 22% em relação ao ano anterior em decorrência da apreciação do Real e da amortização de dívidas, utilizando recursos advindos dos desinvestimentos. O prejuízo acumulado, aliado ao alto endividamento, descarta a possibilidade de pagamento de dividendos neste ano novamente avisou Pedro Parente, presidente da companhia – Fonte ADVFN.

Acredito no potencial de crescimento da empresa – sigo como sócio! 😉

Petrobras retoma programa de desinvestimentos

Felizmente, mais uma boa notícia para a Petrobras.

A Petrobras informa que o Tribunal de Contas da União (TCU) revogou a medida cautelar que impedia a companhia de iniciar novos projetos de desinvestimento e concluir os que se encontravam em andamento. A Petrobras, no entanto, precisa adotar uma sistemática revisada para a venda de ativos. A decisão permite que a Petrobras conclua a venda de participação nos campos de Baúna e Tartaruga Verde e de participação no Campo de Saint Malo no Golfo do México norte-americano. A companhia entende que a decisão do TCU é fundamental para seguir em frente com seu plano de parcerias e desinvestimentos, considerado um dos principais pilares para alcance da meta de redução da alavancagem e reafirma a manutenção da sua meta de parcerias e desinvestimentos estabelecida no Plano Estratégico de US$ 21 bilhões para o biênio 2017/2018 – fonte ADVFN.

Leiam também:
http://www.valor.com.br/empresas/4833000/refino-sera-alvo-de-novos-desinvestimentos-da-petrobras-este-ano

Petrobras: companhia decide deixar setor petroquímico

Em comunicado ao mercado, a Petrobras esclareceu que pretende sair integralmente do setor petroquímico, visando à redução da alavancagem financeira, preservação do caixa e concentração em investimentos prioritários, como a produção de petróleo e gás no Brasil em áreas de elevada produtividade e retorno. O plano já está previsto no Plano de Negócios e Gestão 2017-2020. No entanto, até o momento, não foi iniciado processo para alienação da participação acionária detida na Braskem. A Petrobras detém 36,15% do capital total da Braskem, segunda maior acionista da companhia, atrás apenas da Odebrecht, com 38,32% de participação – Fonte ADVFN.