Renda variável: O preço de compra é importante?

Será que o preço é realmente fundamental no momento de uma compra ou abertura de operação? O tema é polêmico, não existe uma verdade única, mas estudos demonstram que varia de acordo com o tipo de operação, momento e volume financeiro.

Uma carteira só pode ser vencedora se os preços subirem!

É evidente que todo investidor visa retorno financeiro, visto que está cedendo seu tempo e dinheiro ao emprestar recursos para terceiros. Quanto maior o risco, maior a expectativa de lucro. Não estamos fazendo caridade. Mas, tudo isto é muito relativo.

A previsibilidade é maior quando estamos investindo em renda fixa – neste caso, é possível fazer um planejamento mais eficiente em relação ao volume aplicado, tempo e taxa de retorno. Não estou afirmando que não possa haver perdas, porém os riscos são menores e mais previsíveis.

O mesmo não é observado na renda variável. A base para investimento pode ser semelhante, mas as opções e riscos envolvidos são superiores e difícil de mensurar.

Você pode assumir uma posição de Holder, tornando-se sócio de boas empresas. Trata-se de uma visão e postura de investidor. O objetivo é fazer parte de um determinado negócio (empresa) e crescer junto. Por outro lado, é possível atuar como Trader, especulando a volatilidade do mercado. Não são excludentes, mas é preciso compreender claramente qual é o tipo de operação desejada. O trader também é importante, pois sua atuação aumenta a liquidez do mercado.

É fácil perceber que, como trader, o preço de entrada em cada operação é fundamental, pois o lucro depende da diferença de preço entre a abertura e fechamento de cada operação (comprar barato e vender mais caro).

Diferentemente, o holder acumula patrimônio diversificado em valor e não pretende fechar posição enquanto a sociedade se mostrar “lucrativa e vantajosa”. Quando a empresa apresenta lucros consistentes a cotação acompanha e, possivelmente, contaremos com juros sobre capital próprio, dividendos, bonificação e também podemos participar de subscrições. A flutuação de curto prazo, não interfere nestes benefícios e o preço médio será diluído ao longo do tempo.

Sendo assim, compartilharei a minha visão e de alguns analistas:

Confiram o posicionamento de alguns analistas e educadores financeiros:

Desejo um ótimo fim de semana para todos! 😉

Dessalinização: o que é verdade ou mentira?

Agora que estamos sob “nova direção“, surge a discussão de que a parceria com Israel, na busca de uma alternativa tecnológica realmente eficiente, não passa de uma manobra política. Para variar, a oposição tem dado uma forcinha para tornar a discussão mais acalorada. Mas, afinal de contas, o que é verdade ou mentira?

Um dos primeiros argumentos é de que a Embrapa detêm a tecnologia necessária para a dessalinização. Desde o período da disputa eleitoral esta discussão está no ar e recentemente o MBL compartilhou um artigo informando que a “Embrapa desmente dessalinização e derruba mais uma narrativa

https://www.mblnews.org/notas/embrapa-desmente-dessalinizacao-derruba-narrativa/

Para variar, novamente, há quem questione a credibilidade do MBL (normalmente quem se identifica com a ideologia de esquerda) – até agora não vi artigos enganosos (achismo não quer dizer nada).

Mas, se você ainda tem alguma dúvida sobre o assunto, confira o que a Embrapa diz em seu perfil do Twitter:

https://twitter.com/embrapa/status/1080887887024013313

Portanto, este argumento não tem sustentação. E, sendo racional, o país estaria mantendo a tecnologia em segredo por décadas à espera do “momento certo” para diminuir o sofrimento de uma parcela tão grande da população? Por mais incompetente que fosse, não existe lógica alguma!

Além destes fatos, gostaria de compartilhar uma reflexão baseada em uma conversa que meu pai teve com um amigo…

A água do subsolo nordestino não é salgada, é salobra – trás alguma quantidade de sal.

As soluções aventadas até agora não atenderam as necessidades, tanto é assim que o problema persiste.

Não adianta dizer que “existe” (não há confirmação) no país há mais de “quinze anos” tecnologia se problema continua. Logo, precisamos buscar outras.

Numa visão racional, é um processo em andamento de busca. A ideologização é sectária, quando precisamos de troca de ideias na busca de solução.

Se me perguntar, essa ou aquela é a melhor solução, direi : Não sei, vejamos os resultados. Aquela que melhor responder às nossas necessidades, deve ser adotada. René Descartes dizia que devíamos duvidar de tudo.

Nesse contexto, devemos, a princípio, duvidar da estação de Israel. Mas, devemos testá-la e, no mínimo, obteremos novos conhecimentos.

A primeira estação, de pequeno porte, será doada. Se houver interesse, iremos pagar pela tecnologia. O processo está em tratativas, não têm nada certo.

A esquerda está agitada em face dos erros cometidos em relação ao Nordeste:

– A estrada de ferro Transnordestina até hoje não se concretizou, é apenas fato político; e

– A transposição do São Francisco não se completou e já apresenta um sem número de problemas, tais como:

“assoreamento das margens em Minas Gerais que devia ter sido resolvido antes de tudo. Em alguns trechos, ele é atravessado a pé. A construção apresenta grandes defeitos de engenharia. Basta ver que nem terminou a obra e já está se desfazendo. O canal construído é uma lâmina de plástico sobre a qual foi colocada uma camada de 5cm de concreto, que não está suportando”

Dentre vários, mais outro fato político difícil de solução.


Não importa sua visão política, escolha o lado da população! 😉

Desejo um FELIZ E PRÓSPERO 2019

Sei que passamos por um ano bastante turbulento e encontramos uma divergência de opiniões exacerbada. A esquerda cobra democracia e liberdade, mas não demonstra aceitar muito bem o resultado da disputa eleitoral e ainda julga o atual presidente com o preconceito que tanto criticam.

Não sou um bolsominion (risos)… tomei uma posição favorável porque não vi outra opção e por desejar um rumo diferente para o país – não podemos desejar algo diferente ou novo, se continuarmos agindo sempre igual.

Não é mais uma questão de direita ou esquerda. Não é mais Haddad ou Bolsonaro.

Passamos por maus bocados. O que todo brasileiro deveria desejar é que o governo Bolsonaro não nos decepcione, estamos todos no mesmo barco. Espero que o governo permita o crescimento para todos, que possamos conferir educação e saúde de qualidade para o maior número de pessoas.

Chega de faz de conta.

E seja “resistência” se houver razão para tal, do contrário será apenas um iludido brigando por nada.

Da mesma forma que depositamos a confiança, vamos cobrar o que nos foi prometido.
A renovação do governo fortalece a democracia!

Então, desejo sinceramente um FELIZ E PRÓSPERO ANO NOVO para todos!