Ajuste em carteira: PQDP11, FIGS11 e HGBS11

Na sexta-feira (13/07) decidi fazer uma pequena operação, redistribuindo melhor algumas cotas que detenho (Fundos de Shopping). Já adianto que não se trata de um trade, foi apenas uma redistribuição visando diminuir minha exposição ao risco (FIGS11), aproveitar uma precificação injusta de mercado (HGBS11) e garantir o ganho de capital oferecido pelo fundo PQDP11.

Eis um resumo bastante sucinto da operação

Para clarear mais, confiram alguns dados que foram utilizados como referência para tomada de decisão:

FIGS11 – A RMG (Renda Mínima Garantida) encerrará em abril de 2019 e cogita-se uma ampla reforma no shopping BomSucesso.

Em termos de diversificação, o HGBS11 é, sem sombra de dúvidas, a melhor opção (com 6 ativos físicos, cotas de outros fundos (incluindo o PQDP), CRI e LCI) – também apresenta um valor patrimonial expressivamente superior (1.06B) se comparado com os demais. O fundo passou por um momento delicado e o mercado reagiu com exagero, oferecendo uma oportunidade interessante. Em relação ao VP/Cota, o fundo apresenta um desconto de R$ 35 por cota.

Composição de ativos e passivos do fundo HGBS11:

O PQDP11 foi o primeiro fundo de shopping que escolhi. O resultado do fundo continua excelente, a vacância é muito baixa (a menor entre os três) e meu preço médio corresponde menos da metade do preço negociado atualmente. Porém, o fundo está sendo negociado expressivamente acima de seu VP/Cota – algo que o torna menos interessante para novos aportes, tendo em vista que o rendimento não será recompensador (tem sido o menor, com apenas 0,48%). Sendo assim, o HGBS11 apresenta mais uma vantagem, pois, além do desconto, oferece um rendimento superior (0,61%) – é evidente que a probabilidade de valorização é maior.

Composição de ativos e passivos do fundo PQDP11:

Dos três, o FIGS11 tem chamado mais atenção, oferecendo um rendimento na casa de 1%. Porém, é preciso ficar atento com a prazo para o fim da RMG (que está próximo). Vale lembrar que há uma estimativa que o rendimento real esteja avaliado em aproximadamente R$ 0,36 por cota. Então, é esperado um pequeno estresse conforme aproximarmos do término e, neste momento, o mercado tende a reagir de maneira ainda mais expressiva. Levando em consideração que o fundo demonstra interesse em uma ampla reforma no shopping Bomsucesso, o rendimento será comprometido ainda mais. Gosto do fundo, no entanto por entender que minha exposição está me deixando em situação desconfortável, resolvi ajustar a distribuição em carteira (diminuindo pela metade).

Composição de ativos e passivos do fundo FIGS11:

A valorização contundente das cotas dos fundos FIGS11 e PQDP11 é pouco provável, ainda mais em um momento tão delicado no cenário político-econômico. Avaliando estes números, entendi que existem opções mais lucrativas e seguras.

Fontes de consulta:
http://meusdividendos.com
http://www.scanfii.com.br
http://www.fiis.com.br

Vale lembrar que isto não é uma recomendação de investimento, a operação demonstrada oferece risco de possíveis perdas!

One thought on “Ajuste em carteira: PQDP11, FIGS11 e HGBS11

  1. Pingback: Resultado do mês de julho (2018) |

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *