Secretário de Recursos do TCU fala sobre a Proteção Social dos Militares das Forças Armadas

Eis mais um assunto que está sempre em discussão… mas, será que a informação que circula na Internet e a forma como o assunto é abordado é verdadeira ou tem fundamento? Gostaria de compartilhar algumas informações para demonstrar que esta preocupação com o deficit da Previdência não é tão recente quanto parece, e o custo do funcionalismo público é um problema maior do que aparenta.

Você sabia que, em 2016, o regime de previdência militar da União, que cobre as Forças Armadas, entre aposentadorias e pensões, pagou cerca de 370 mil benefícios. E o INSS, dos contribuintes da iniciativa privada, pagou mais de 28 MILHÕES de benefícios. Já para os servidores públicos civis, foram cerca de 3 MILHÕES.

Para ter uma ideia melhor, confiram este pdf (portal Trata Brasil – gasto com 980 mil servidores é igual ao de todo o INSS):
http://www.tratabrasil.org.br/datafiles/uploads/550242f6ce1.pdf

Existe uma razão para tratamento diferenciado para as Forças Armadas:

Pois é, não resta dúvidas de que se trata de um assunto bastante delicado.

Estou compartilhando maiores informações sobre o tema porque está prevista a votação da Reforma da Previdência para o dia 19 de fevereiro. Depois da condenação do ex-presidente Lula, este dia também promete bastante agitação no mercado de renda variável! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *