Será que o país perde R$ 4,6 bi ao não tributar acionistas de Itaú, Bradesco e Santander?

Pois é, se o Leão é Manso, então a CONTRAF-CUT não é muito “inteligente”… na maioria das vezes, estes Bancos citados remuneram por JCP, onde há tributação de IR no ato do pagamento aos acionistas.

Confiram o artigo que recebi como sugestão de leitura:
http://spbancarios.com.br/02/2019/pais-perde-r-46-bi-ao-nao-tributar-acionistas-de-itau-bradesco-e-santander

Logo, no JCP, a distribuições dos lucros favorece as empresas diminuindo o IR, mas o encargo fica com o acionista que será taxado em uma alíquota de 15%. E, no caso dos dividendos, a distribuição acontece sobre o lucro líquido da empresa, após o pagamento de todos os seus tributos (como IR e outras contribuições).

Portanto, o governo já arrecada em ambos os casos – seria bitributação!

Além disso, faria com que inúmeros investidores percam o interesse pela relação risco x retorno do país, direcionando capital para países com menor volatilidade ou, como nossa taxa de juros é alta, direcionando para renda fixa.

Gostaria de saber de onde saem estes cálculos…

Não acreditem em qualquer coisa, questionem! 😉

Sócrates encontra professor da USP

Recebi o texto ontem e, pela excelente reflexão do momento em que vivemos, resolvi compartilhá-lo.

SÓCRATES ENCONTRA PROFESSOR DA USP

“Sócrates, enviado para 2017 em um vórtice temporal, cai em São Paulo, no meio de um manifesto, e encontra um militante esquerdista

– Olá, excelente rapaz! 
  Do que se trata toda essa gente reunida?
– Olha, velhote desinformado, 
  estamos lutando contra a elite por justiça!
– Sim, eu realmente sou um desinformado, 
  eu sou quem não sabe, 
  mas estou muito feliz de encontrar você, 
  que realmente sabe! 
  Peço que me ensine, é possível?
– Sim, claro, sou da USP, 
  tem muita coisa que você precisa aprender!
– É um grande dia, excelente rapaz! 
  Finalmente encontrei alguém sábio que me ensinará!

  Primeiro, gostaria de saber o que é a elite, 
  depois o que é justiça e por último 
  por qual aplicação de justiça estão lutando. 
  Pode ser nessa ordem?

– Sim, isso é fácil!
– Perfeito! O que é a elite!?
– A elite são os ricos, 
  que têm muito dinheiro, muitos bens.
– Então, o critério para discernir a elite 
  é a quantidade de  dinheiro, de bens,
  que possui, certo?
– Sim, é esse mesmo!
– E a partir de que ponto um homem é considerado rico,
  participante da elite?
– A classificação disso é através classes sociais, 
  que são A, B, C, D, E e F!
  A classe A é quem tem mais, 
  e vai diminuindo para quem tem menos,
  até a classe F, que é praticamente miserável e 
  não tem nada... é por eles que lutamos!
– Certo, 
  como eu posso identificar quem é a elite nesses termos?
– São as classes A, B e C,
  mas é só ver quem ganha mais de 2.300 
  por mês, que já é elite!
– Entendi, e os outros todos não são elite, certo?
– Sim, o critério é esse.
– Quem ganha mais de 2.300 por mês é a elite, 
  e a elite é malvada, certo?
– Certo!
– E quem ganha menos de 2.300 por mês não é da elite, 
  e não é malvado, correto também?
– Sim, é exatamente isso! 
  O senhor está aprendendo muito bem! 
  Qual seu nome?
– Meu nome é Sócrates, excelente rapaz!
– Certo, Sócrates! Está aprendendo muito bem.
– Você é formado em uma universidade, não é isso?
– Sim! Sou inclusive professor! Da USP, como eu disse!
– Que dia maravilhoso para mim, excelente rapaz! 
  Encontrei finalmente um sábio! 
  Quanto ganha um professor da USP?
– Eu ganho 10 mil…
– Então...você é da elite e é malvado?
– Não… é que… olha… eu luto pelo povo e… 
  eu quero só o bem dele!
– Mas você disse que o critério era esse…
– Eu sei, parece estranho, 
  mas são nossos representantes que vão
  acabar com essas diferenças sociais!

– Estou me esforçando para compreender: 
  quem são seus representantes?
– São os políticos!

– Quanto ganha um político hoje, rapaz?
– Depende: 
  deputado ganha cerca de 39 mil por mês, 
  um senador uns 33 mil…
– Então eles são da elite também!
– São, sim… mas são eles que vão fazer o bem para o povo!
– Mas você me disse que a elite só faz o mal, 
  e que o critério é que quem ganha mais de 2.300 
  por mês é mau...
  tanto você quanto seus representantes são da elite, 
  devo supor que são maus,
  segundo suas próprias palavras… 
  ou será de outra forma?

– Estou desconfiando que você é um infiltrado, velho! 
  Como pode duvidar do que estou dizendo?
– Eu estou tentando aprender, você disse que me ensinaria. 
  Mas, afinal, você é um homem mau e seus representantes 
  também são maus,
  ou esse critério estará errado?
– Eu não sou mau! 
  Lula é santo! Que espécie de perguntas são essas?
– Chama-se lógica, rapaz, 
  eu só estou examinando seu próprio critério…  
  se o critério estiver certo, você e seus representantes
  são maus, se forem bons então o critério está errado… 
  não será dessa forma?
– Está bem, talvez o critério esteja errado, 
  pois eu sou um homem bom, 
  e meus representantes também são bons, 
  afinal estou lutando pela justiça, 
  pelo bem, por algo bom!

– Muito bem, rapaz! E qual a luta de vocês?
– Lutamos contra os maus… quer dizer, a elite…
– Nos critérios que você me colocou?!
– Sim!
– Oras, estão lutando contra si mesmos?!
– Não! Bem, talvez o critério esteja errado mesmo…
  não sei mais!

– Mas, me diga, o que é justiça?
– Justiça é que todos ganhem o mesmo salário! 
  Para não haver desigualdade, sabe?
– Mesmo os que não trabalham?
– Não, só os que trabalham, claro…
– Então já não são todos... Concorda?
– Bem, quis dizer todos que trabalham; 
  os que não trabalham ganham bolsas, 
  essas bolsas é para que não fiquem sem nada…
– Essas bolsas são como um salário?
– Sim! Recebem uma vez por mês!
– E de onde sai o dinheiro dessas bolsas, rapaz?
– Impostos! As pessoas trabalham e pagam impostos, 
  o estado redistribui a renda, 
  e paga as bolsas.
– Então quem paga as bolsas é quem trabalha, 
  e é justo que quem não trabalha receba salário por 
  não trabalhar, e quem está trabalhando
  pague salário a quem não trabalha?
– Sócrates, você está me deixando confuso…

– Apenas me responda, 
  a justiça consiste em pagar salário para quem não trabalha,
  é isso?
– Não… é redistribuir a renda…
– Mas, no final da sua redistribuição, 
  isso é o que acontece, ou não?
– Sim, é… mas…tudo parece estranho, eu sei. 
  Mas, quando fizermos o comunismo, tudo vai ser diferente,
  tudo vai ser justo e ninguém vai ser miserável,
  não vai dar pra você entender agora… 
  a elite é poderosa e controla tudo!
– Rapaz, até agora tudo que você me disse foi contraditório, 
  não?
– Sim, foi! É que você precisa esperar o comunismo acontecer!
  Aí, sim, tudo vai fazer sentido!
– Oras, rapaz, então esse tal comunismo,
  deve ser maravilhoso... onde aconteceu?
– Cuba, Coreia do Norte, Rússia, Alemanha Oriental…
– Então esses lugares devem ser o paraíso! 
  Conte-me como são!
– Olha, as coisas não vão tão bem, 
  alguns lugares já abandonaram o comunismo, 
  mas os outros permanecem em luta!
– Rapaz, que surpresa! 
  Por que afinal abandonaram algo tão maravilhoso?
– Não deu certo, mas continuamos tentando! 
  É culpa do capitalismo!
– E os outros lugares?
– Cuba e Coreia do Norte continuam comunistas!
– Que maravilha! E como são esses lugares?
  Estão bem? Todos são prósperos? 
  Não existem mais classes?
– Pra falar a verdade, não estão bem não. 
  Cuba e Coreia do Norte estão passando fome, 
  mas isso é por culpa do capitalismo!
– Oras, mas um modelo tão bom, pelo qual vocês lutam, 
  não faria apenas bem?
– É que os dirigentes não fizeram o comunismo como pensávamos, 
  eles deturparam, fizeram outra coisa…
– Mas você me disse há pouco que eles eram bons…
– Eu disse mas… bem, nunca se sabe!
– Será que talvez vocês não estejam errados?
– Talvez, Sócrates…
– E por que esses países têm dirigentes?
– Eles têm poder militar, e muito capital…
– Oras, você me disse que não haveria classes sociais…

– No comunismo existem apenas as classes política 
  e do proletariado!
– Então existem ainda classes, correto?
– Não tenho como discordar agora…
– Meu rapaz, 
  não me parece que você esteja lutando por algo bom, 
  pois seus exemplos foram todos maus, 
  e não me parecem confiáveis seus representantes como bons, 
  pois sempre terminam por trair o povo, 
  e mesmo seus critérios não me parecem bons,
  pois não se sustentam agora,
  nem nos exemplos que me forneceu.
– O senhor está me deixando sem resposta. 
  Eu preciso estudar mais…

– Eu agradeço pela conversa, 
  mas vou continuar procurando alguém realmente sábio,
  que possa me ensinar algo de sua sabedoria.

Um grupo de garotos se aproxima e cumprimenta o professor.

– Quem é este homem, professor?
– Um velho chamado Sócrates, que eu estava ensinando, 
  mas agora estou um pouco confuso…
– Por que está confuso professor?
– Ele discordou de algumas ideias minhas, 
  e eu não consegui sustentá-las…

O grupo de garotos grita:

– ATENÇÃO, TODO MUNDO! ESSE É UM VELHO FASCISTA! RACISTA!
  MISÓGINO! SEXISTA! HOMOFÓBICO!

(texto de Ricardo Roveran)

Qualquer semelhança não é mera coincidência! 😉

Programação de Robôs de trade: Introdução

Dei início a produção de videoaulas, no canal do Youtube, sobre programação de Robôs de Trade no Metatrader5. Para evitar euforia desmedida e ilusão, decidi fazer uma introdução demonstrando e refletindo sobre os riscos reais de cada operação.

Muitas vezes também fico eufórico…
Logo, para puxar o freio de mão, vamos aos alertas:

Nossa mente é traiçoeira… É muito fácil ficar iludido quando enxergamos as “possibilidades” de ganho, mesmo conhecendo os riscos envolvidos. Lidar com a euforia nos lucros é fácil e prazeroso, mas lidar com os prejuízos não é para qualquer um.

Pelo que percebi, na maioria das vezes, quem mais defende operações especulativas ou esquemas fraudulentos (pirâmides) são justamente pessoas com recurso financeiro limitado, mas querem acreditar que podem atuar “profissionalmente” (quando possível) neste mercado e acelerar sua independência financeira. O mais triste é que em quase todos os casos que conheço ocorre o inverso – perdem o que não tem.

Demonstrarei como nossa mente pode ser traiçoeira:

Continuando…

Minha primeira experiência na Bolsa foi complicada. Vi a possibilidade de ganho rápido e fiquei cego. Ganhei muito dinheiro em poucas semanas. Na época, mesmo com pouca experiência, consegui realizar várias operações lucrativas. Era tão frequente que não consegui assimilar que poderia ser apenas sorte. A confiança foi aumentando naturalmente. Conferir o lucro rápido mexe com o emocional. Mas, presenciar um grande prejuízo mexe infinitamente mais (risos). Chegou em um momento que me perdi entre operações como holder ou trader. Foi ladeira abaixo. Vários colegas de trabalho seguiram o mesmo caminho. Sabem quantos obtiveram sucesso? NENHUM!

Voltei para o mercado sem a intenção de especular e estudei mais. O foco principal tem sido a atuação como Holder. No início, não parecia tão vantajoso. Porém, 5 anos depois vi um resultado que, no início, nem imaginei.

Com mais experiência e influenciado por outros colegas, resolvi “especular moderadamente” o mercado futuro. Para variar, a grande maioria fala com muita paixão sobre algo que requer muita frieza – não combina. Alguns destes colegas falam em crescer e atuar profissionalmente. O mais engraçado é que estes argumentos são repetitivos. Novamente, sabem quantos estão com lucros consistentes? NENHUM.

Como tenho compartilhado minha experiência como investidor amador, resolvi dar mais uma chance aos trades, sem perder o foco no B&H. A combinação do controle emocional, disciplina e manejo de risco é algo muito complicado. Nas duas primeiras semanas de operação manual consegui um lucro de R$ 1.500. Porém, na semana semana seguinte, perdi R$ 3.000. Manter o controle emocional tendo que operar em horários picados no trabalho ou no intervalo do almoço é impossível (prejuízo certo).

Desisti de operar manualmente…

Decidi codificar um robô no MT5. O resultado tem sido bom, porém manter o equilíbrio entre lucro/prejuízo não é fácil. Aparentemente, o robô está conseguindo entregar um resultado positivo, mas preciso tomar cuidado para não cair em “game-over” em momentos que o robô não consegue acertar. Pois é. O próximo passo tem sido incluir RNA (redes neurais artificiais). Ainda estou afinando a configuração, usando o FANN (Fast Artificial Neural Network). O grande problema é que, muitas vezes, o mercado não é bem comportado e a inteligência artificial acaba perdendo movimentos que não poderia deixar passar e minha relação risco x retorno fica desvantajosa.

O meu objetivo, caso bem sucedido, é conseguir uma remuneração adicional de carteira – reinvestindo os lucros por B&H.

Para finalizar, recomendo que assistam o vídeo:

Faça as operações de forma consciente! 😉

Dessalinização: o que é verdade ou mentira?

Agora que estamos sob “nova direção“, surge a discussão de que a parceria com Israel, na busca de uma alternativa tecnológica realmente eficiente, não passa de uma manobra política. Para variar, a oposição tem dado uma forcinha para tornar a discussão mais acalorada. Mas, afinal de contas, o que é verdade ou mentira?

Um dos primeiros argumentos é de que a Embrapa detêm a tecnologia necessária para a dessalinização. Desde o período da disputa eleitoral esta discussão está no ar e recentemente o MBL compartilhou um artigo informando que a “Embrapa desmente dessalinização e derruba mais uma narrativa

https://www.mblnews.org/notas/embrapa-desmente-dessalinizacao-derruba-narrativa/

Para variar, novamente, há quem questione a credibilidade do MBL (normalmente quem se identifica com a ideologia de esquerda) – até agora não vi artigos enganosos (achismo não quer dizer nada).

Mas, se você ainda tem alguma dúvida sobre o assunto, confira o que a Embrapa diz em seu perfil do Twitter:

https://twitter.com/embrapa/status/1080887887024013313

Portanto, este argumento não tem sustentação. E, sendo racional, o país estaria mantendo a tecnologia em segredo por décadas à espera do “momento certo” para diminuir o sofrimento de uma parcela tão grande da população? Por mais incompetente que fosse, não existe lógica alguma!

Além destes fatos, gostaria de compartilhar uma reflexão baseada em uma conversa que meu pai teve com um amigo…

A água do subsolo nordestino não é salgada, é salobra – trás alguma quantidade de sal.

As soluções aventadas até agora não atenderam as necessidades, tanto é assim que o problema persiste.

Não adianta dizer que “existe” (não há confirmação) no país há mais de “quinze anos” tecnologia se problema continua. Logo, precisamos buscar outras.

Numa visão racional, é um processo em andamento de busca. A ideologização é sectária, quando precisamos de troca de ideias na busca de solução.

Se me perguntar, essa ou aquela é a melhor solução, direi : Não sei, vejamos os resultados. Aquela que melhor responder às nossas necessidades, deve ser adotada. René Descartes dizia que devíamos duvidar de tudo.

Nesse contexto, devemos, a princípio, duvidar da estação de Israel. Mas, devemos testá-la e, no mínimo, obteremos novos conhecimentos.

A primeira estação, de pequeno porte, será doada. Se houver interesse, iremos pagar pela tecnologia. O processo está em tratativas, não têm nada certo.

A esquerda está agitada em face dos erros cometidos em relação ao Nordeste:

– A estrada de ferro Transnordestina até hoje não se concretizou, é apenas fato político; e

– A transposição do São Francisco não se completou e já apresenta um sem número de problemas, tais como:

“assoreamento das margens em Minas Gerais que devia ter sido resolvido antes de tudo. Em alguns trechos, ele é atravessado a pé. A construção apresenta grandes defeitos de engenharia. Basta ver que nem terminou a obra e já está se desfazendo. O canal construído é uma lâmina de plástico sobre a qual foi colocada uma camada de 5cm de concreto, que não está suportando”

Dentre vários, mais outro fato político difícil de solução.


Não importa sua visão política, escolha o lado da população! 😉

Desejo um FELIZ E PRÓSPERO 2019

Sei que passamos por um ano bastante turbulento e encontramos uma divergência de opiniões exacerbada. A esquerda cobra democracia e liberdade, mas não demonstra aceitar muito bem o resultado da disputa eleitoral e ainda julga o atual presidente com o preconceito que tanto criticam.

Não sou um bolsominion (risos)… tomei uma posição favorável porque não vi outra opção e por desejar um rumo diferente para o país – não podemos desejar algo diferente ou novo, se continuarmos agindo sempre igual.

Não é mais uma questão de direita ou esquerda. Não é mais Haddad ou Bolsonaro.

Passamos por maus bocados. O que todo brasileiro deveria desejar é que o governo Bolsonaro não nos decepcione, estamos todos no mesmo barco. Espero que o governo permita o crescimento para todos, que possamos conferir educação e saúde de qualidade para o maior número de pessoas.

Chega de faz de conta.

E seja “resistência” se houver razão para tal, do contrário será apenas um iludido brigando por nada.

Da mesma forma que depositamos a confiança, vamos cobrar o que nos foi prometido.
A renovação do governo fortalece a democracia!

Então, desejo sinceramente um FELIZ E PRÓSPERO ANO NOVO para todos!