Dessalinização: o que é verdade ou mentira?

Agora que estamos sob “nova direção“, surge a discussão de que a parceria com Israel, na busca de uma alternativa tecnológica realmente eficiente, não passa de uma manobra política. Para variar, a oposição tem dado uma forcinha para tornar a discussão mais acalorada. Mas, afinal de contas, o que é verdade ou mentira?

Um dos primeiros argumentos é de que a Embrapa detêm a tecnologia necessária para a dessalinização. Desde o período da disputa eleitoral esta discussão está no ar e recentemente o MBL compartilhou um artigo informando que a “Embrapa desmente dessalinização e derruba mais uma narrativa

https://www.mblnews.org/notas/embrapa-desmente-dessalinizacao-derruba-narrativa/

Para variar, novamente, há quem questione a credibilidade do MBL (normalmente quem se identifica com a ideologia de esquerda) – até agora não vi artigos enganosos (achismo não quer dizer nada).

Mas, se você ainda tem alguma dúvida sobre o assunto, confira o que a Embrapa diz em seu perfil do Twitter:

https://twitter.com/embrapa/status/1080887887024013313

Portanto, este argumento não tem sustentação. E, sendo racional, o país estaria mantendo a tecnologia em segredo por décadas à espera do “momento certo” para diminuir o sofrimento de uma parcela tão grande da população? Por mais incompetente que fosse, não existe lógica alguma!

Além destes fatos, gostaria de compartilhar uma reflexão baseada em uma conversa que meu pai teve com um amigo…

A água do subsolo nordestino não é salgada, é salobra – trás alguma quantidade de sal.

As soluções aventadas até agora não atenderam as necessidades, tanto é assim que o problema persiste.

Não adianta dizer que “existe” (não há confirmação) no país há mais de “quinze anos” tecnologia se problema continua. Logo, precisamos buscar outras.

Numa visão racional, é um processo em andamento de busca. A ideologização é sectária, quando precisamos de troca de ideias na busca de solução.

Se me perguntar, essa ou aquela é a melhor solução, direi : Não sei, vejamos os resultados. Aquela que melhor responder às nossas necessidades, deve ser adotada. René Descartes dizia que devíamos duvidar de tudo.

Nesse contexto, devemos, a princípio, duvidar da estação de Israel. Mas, devemos testá-la e, no mínimo, obteremos novos conhecimentos.

A primeira estação, de pequeno porte, será doada. Se houver interesse, iremos pagar pela tecnologia. O processo está em tratativas, não têm nada certo.

A esquerda está agitada em face dos erros cometidos em relação ao Nordeste:

– A estrada de ferro Transnordestina até hoje não se concretizou, é apenas fato político; e

– A transposição do São Francisco não se completou e já apresenta um sem número de problemas, tais como:

“assoreamento das margens em Minas Gerais que devia ter sido resolvido antes de tudo. Em alguns trechos, ele é atravessado a pé. A construção apresenta grandes defeitos de engenharia. Basta ver que nem terminou a obra e já está se desfazendo. O canal construído é uma lâmina de plástico sobre a qual foi colocada uma camada de 5cm de concreto, que não está suportando”

Dentre vários, mais outro fato político difícil de solução.


Não importa sua visão política, escolha o lado da população! 😉

One thought on “Dessalinização: o que é verdade ou mentira?

  1. Pingback: Resultado do mês de janeiro (2019) |

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *