A miséria do jornalismo brasileiro

Quem assistiu o programa Roda Viva de ontem já sabe exatamente o que pretendo abordar. É lamentável constatar a péssima qualidade do jornalismo brasileiro. Mesmo cansado, resolvi separar alguns minutinhos para conhecer melhor as ideias do candidato (conferir argumentos referentes à segurança, saúde e educação) – infelizmente, perdi tempo assistindo uma entrevista inútil.

Desanima, não é mesmo?

Confiram também o texto de Franklin Ferreira:

“JESUS ERA UM REFUGIADO” E A MISÉRIA DO JORNALISMO BRASILEIRO
O Roda Viva de ontem foi o retrato exato da falência do jornalismo brasileiro. Corrupção endêmica, desemprego em alta, economia falida, falta de segurança, educação e saúde, e 80% das perguntas feitas pelos militantes disfarçados de jornalistas foram sobre governo militar, homofobia e racismo.

Entre as muitas pérolas hilárias ouvidas ontem – Wikipedia virou fonte jornalística e Jair Messias Bolsonaro foi acusado de ter defendido “metralhar” os bandidos da Rocinha – também “aprendemos” com o cheerleader da esquerda Bernardo Mello Franco, de O Globo, que Jesus Cristo foi… hã… um refugiado!

Deixando de lado o óbvio anacronismo, será que o jornalista não sabia que a Judeia e o Egito eram parte do único Império Romano no fim do século I a.C.?

E o programa de ontem ilustra o abismo que se criou entre a elite esquerdista e o povo comum.

Paulo Figueiredo, como citado por Rodrigo Constantino, resumiu muito bem: “Vocês viram o Bolsonaro no Roda Viva. Eu vi um brasileiro comum falando verdades a uma classe jornalística estúpida, ideológica, vagabunda, despreparada e soberba. Poucas vezes vi algo tão ilustrativo do momento em que vivemos”.

Hoje tem Youtuber fazendo trabalho mais sério que os jornalistas ligados aos grandes meios de comunicação, como Veja, O Globo, Estado de SP, TV Cultura e Folha de SP. Pois, como Constantino afirmou, “nossos jornalistas são filhotes […] das nossas universidades, fábricas de analfabetos funcionais e papagaios de slogans marxistas”.

O que se viu ontem foi a pá de cal no jornalismo brasileiro.

2 thoughts on “A miséria do jornalismo brasileiro

  1. Numa boa, o review desse youtuber foi coisa de baixíssimo nível. Ele usou edição e destilou raiva contra todos os entrevistadores, coberto pelo véu, claro, de estar fazendo um vídeo solo sem ninguém para contra-argumentá-lo. Quando ele ataca até jornalista da revista Veja, acusando-a de complacente com a esquerda, algo está fora do lugar. A Veja maquinou durante mais de doze anos para apinhar o governo do PT do Planalto. O séquito de Bolsonaro – parte substancial dele, ao menos – parece espumar de raiva contra tudo e todos, como se fosse uma grande vítima do jornalismo. Estão acusando Alckmin e Veja de serem “comunistas”. Os jornalistas vão fazer perguntas incômodas mesmo, é do jogo…

    • O Bernardo é um conservador fervoroso e muitas vezes exagera em seus argumentos, mas, de maneira geral, produz conteúdo bastante rico em informações. Compartilhei este vídeo porque, como ainda não tenho uma opinião formada sobre o candidato, acreditei que seria uma ótima oportunidade para conhecer um pouco mais. Fiquei bastante desapontado, esperava mais do Roda Viva.

      Então, estava esperando para conhecer melhor a visão de governo dele. O Roda Viva costuma(va) produzir debates de alto nível, seria a oportunidade perfeita. Perdi um belo tempo assistindo uma discussão que lembrava mais intrigas de reality show. Todos os “entrevistadores” tinham perfil esquerdista e direcionaram o debate para questões pontuais e provocativas. Apesar de questionável, até a entrevista na Globo News foi melhor.

      Concordo contigo, é nítido que a Veja não tem nada de comunista, mas a jornalista que estava representando… que participação estranha heim. Seja qual for o resultado, o PT já teve sua oportunidade por mais de 13 anos! Não deu certo, precisamos renovar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *